sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Ex-Pueblo- Pampa Union - Antofagasta - Chile

          A caminho de Antofagasta deparei com uma placa, "Ex-Pueblo Pampa Union", uma cidade em ruínas perdida no lado direito de quem segue ao Ruta 5, Panamericana Norte, parei então para tirar uma fotografias do local e depois fui buscando informações sobre aquele local, a história esta baseada nas salitreras, companhias que exploram o sal.

          Para aqueles que já passaram ou pensam em passar, a história é mais ou menos assim:

          As salitreras apareceram na província peruana de Tarapacá por volta de 1810, apenas em 1868, começou a extração sistemática de salitre na província boliviana de Cobija, em seguida, a indústria de alta nitrato, gerenciada a partir de Londres viria a preencher a planície desolada. 

          As salitreras foram ligadas entre si pela linha ferroviária de Antofagasta até a Bolívia. Entre os quilômetros 118 e 180 desta rota, a nordeste de Antofagasta, encontravam-se cerca de 20 ou 30 escritórios, a maioria se concentravam na área denominada Pampa Blanca, no km 144, ali havia uma pequena estação ferroviária chamada União. 

          Neste período, sob concessões municipais e pessoas interessadas no domínio dos serviços para a grande produção das salitreras, estabeleceram a partir de 1911, a vila de União Pampa, aumentando gradualmente e espontaneamente muitas construções de vários aspectos e com objetivos diferentes. 

          As oficinas salitreras investiam no desenvolvimento produtivo, sem considerar tanto os aspectos sociais e recreativos. Os trabalhadores viviam em várias salas onde eles cozinhavam, comiam e dormiam. Eles tinham que comprar no "General Store" do Office, onde eram cobrados preços desleais e eram pagos com "chips", a oferta de dinheiro real controladas pelo administrador do Office. Assim União Pampa era a única alternativa, em 200 quilômetros ao redor, para escapar à regra do escritório e seu administrador.

          A população dessa unidade territorial das salitreras viajavam para esta cidade nos fins de semana para comprar, e também para fugir e se divertir. A aldeia de 2.000 habitantes, recebeu uma população flutuante de 10.000 a 15.000 almas. Os industriais salitreiros atacaram fortemente o local por ser um antro de vício, mas não conseguiram parar o crescimento daquela pequena cidade. 

          Nos anos 20 Pampa União teve avenidas largas rentes à linha férrea, cortadas por 6 ruas perpendiculares, formavam umas 17 quadras. A população não aumentou, já que a atividade estava em seu  final. As ruas eram de terra, nas principais haviam corredores com teto de madeira para a circulação de pessoas. As casas eram feitas de adobe, com telhados de zinco. 

          A rua principal, chamada Sotomayor, ficava em frente à estação; em sua totalidade, que é de 6 ou 7 quadras, a maioria das empresas dedicadas exclusivamente ao comércio (correspondências, padarias, roupas americanas, brinquedos alemães, comida espanhola, etc.), numerosas adegas de bebidas, restaurantes, lojas de vinho e cerveja foram distribuídos nas outras ruas da aldeia, numerosos bordéis ficavam mais distantes, nas ruas periféricas. 

          Junto com o desenvolvimento comercial, a oferta de serviços foi concluída: companhia telefônica (1921), Polícia Civil e Secretaria, entre outras. Desde o início houve uma escola mista com 70 crianças, e desde 1918 uma escola noturna para trabalhadores e empregados. Em 1924 se instalou a luz eletrica. Nunca se levantou ali uma igreja, ou até mesmo uma capela. Houve no entanto um teatro para 200 pessoas e um estádio de boxe para 250 pessoas (1929).

          Pampa União teve uma vida curta, teve seu auge com um crescimento alcançado muito rapidamente na década de 20.  Na década de 30 União começou a se tornar despovoada. A cidade sofreu uma morte lenta. E abril de 1954 o Município de Antofagasta autorizou a cidade a desarmar suas instalações. Hoje, existem apenas algumas paredes antigas; onde se reconhecem bordéis e algumas lojas, incluindo a famosa "Casa de vedação", com suas paredes vermelhas.










2 comentários:

  1. Estive lá na mês de Novembro com duas amigas fazendo um giro de carro pela Argentina e chile. É triste ver tudo abandonado. Boa noite amigo motociclista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica sempre um ponto de interrogação sobre o que realmente aconteceu com aquele pessoal -

      Excluir