terça-feira, 7 de julho de 2020

50 nos Andes

          O projeto "50 nos Andes" consiste na ideia de realizar uma grande viagem entre as cidades de Curitiba-PR e Antofagasta no Chile. Um grupo de 50 motociclistas irão atravessar as Cordilheiras dos Andes percorrendo uma distância aproximada de 6.000 km em 13 dias de viagem. 

          Loucura? Para uns sim, mas para o autor da façanha é um desafio e desafio é assim, se fosse fácil não levava este nome.

          A ideia surgiu em outubro de 2019, a viagem ocorrerá em 2021, esse espaço de tempo é para que os interessados possam se preparar tanto na programação de férias quanto na parte financeiramente.

          Antes de comunicar o projeto, o responsável teve o cuidado de pensar, analisar e se esquematizar com todas as possibilidades, tendo respostas para todas as indagações.

  • Como hospedar todo mundo?
  • Como andar com bonde tão extenso na estrada? Será dividido em 2 ou 3 ?
  • Como será nos pedágios e postos de gasolina?
  • Restaurante para toda essa turma?
  • E a saúde de todos?
  • Documentação?
  • E nas Aduanas?
  • Nos Consulados?
  • Relacionamento interpessoal?
  • Terá carro de apoio?

          Enfim, esses e outros assuntos estão no papel prontos para serem executados, O grupo conta com 79 motos inscritas e grande parte delas estão casais.

          O grande barato desse grupo é que todos  estão cientes que o maior problema provavelmente será os "perrengues", mas todos estão conscientes que o sucesso desse projeto depende exclusivamente deles e todos querem que tudo dê certo.  

          Então é isso, que venha 10/2021

Vocês poderão acompanhar a viagem nos seguintes canais;

Siga no Instagram @rogerio.boschini 
Curta a página no Facebook - Rogério Boschini - Viagens de Moto



 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Inaugurado o “Mirante no Morro da Igreja” em Urubici

          Anualmente milhares se motociclistas brasileiros se deslocam para as Serras Catarinenses, a mais conhecida de todas é a Serra do Rio do Rastro, porém, quem realiza esta viagem aproveita também para conhecer o Morro da Igreja em Urubici, um dos principais pontos turísticos de Santa Catarina e recebe cerca de 120 mil turistas ao ano. 

          Ontem, 05/12/2019, foi inaugurado o Mirante no local, que faz parte das obras de revitalização do acesso ao Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta II), um dos quatro do país. 

          Além di Mirante, a estrada que da acesso ao Cindacta foi totalmente revitalizada, inclusive com a construção de um portal de acesso. A estrada de 17 km de extensão e atualmente é a única opção para locomoção dos moradores locais, dos militares e do fluxo turístico, ela foi construída na década de 80. Cerca de 70% do trabalho executado pelos militares é subterrâneo, com a realização de drenagem e contenções.

         Localizada na região serrana do Estado de Santa Catarina, Urubici é a terra das hortaliças, mas é também a terra do turismo, da natureza exuberante, do meio ambiente preservado, das matas de araucárias, cachoeiras e cascatas, com paisagens espetaculares, Urubici é uma das principais estrelas da Serra Catarinense. As atrações naturais do município, que tem pouco mais de 10 mil habitantes, fazem dele um dos destinos mais procurados no país pelos adeptos do ecoturismo. 

          São tantas as opções que é difícil saber por onde começar: rapel em cachoeiras com até 100 m de altura, cavalgadas por vales e campos de altitude, canoagem, pesca esportiva, mountain bike, tirolesa, arvorismo e caminhadas guiadas em torno de cânions. Imperdível também é a vista da Pedra Furada, no Morro da Igreja, o segundo ponto mais alto do Sul do Brasil (1.822 m de altitude), e a Serra do Corvo Branco, a cerca de 30 km do centro da cidade. A região oferece boas opções de hospedagem, de hotéis-fazenda a charmosas pousadas.

          Bora lá visitar novamente Urubici!!!


Distância entre Cidades
Bom Retiro: 38 Km Grão Pará: 60 Km
São Joaquim: 60 Km
Lages: 110 Km.
Criciúma: 130 Km
Florianópolis: 167 Km
Curitiba: 453 km
São Paulo: 845 km
Porto Alegre: 420 km
Brasilia: 1.829











terça-feira, 19 de novembro de 2019

Viagem de fim de ano para a Bolívia

          Você que já esteve na Bolívia sabe que o país é sinônimo de aventuras e belezas naturais, são muitos destinos turísticos para explorar, o Salar de Uyuni provavelmente é o mais procurado pelos amigos motociclistas, seguido pela travessia do Lago Titicaca na região de Copacabana. Destaque ainda para a Estrada da Morte e suas reservas naturais.

          É um país lindíssimo, possui grandes recursos minerais, mas infelizmente esta riqueza fica concentrada nas mãos de poucos. Sua população, em grande parte é descendente de indígenas, sobrevivem do artesanato e da agricultura familiar, destacando-se a produção de milho e principalmente a folha de coca. O nível de escolaridade é baixo, o que permite a seus governantes controlarem a nação através de programas sociais que acabam tornando o povo dependentes desses benefícios.

          A Bolívia esta passando por um processo de mudança politica, ha pouco tempo atras o presidente Evo Morales  entregou o cargo e foi embora para o México, não iremos entrar no mérito de quem esta certo ou errado, temos nossas convicções politicas e as guardamos conosco, este é um blog exclusivamente destinado aos assuntos de viagens sobre duas rodas.

          Nossa intenção é apenas de reforçar as orientações já passadas em matéria sobre planejamento de viagem publicada anteriormente, onde, antes de sair para a estrada, é de extrema importância que nosso amigo motociclista esteja informado sobre os acontecimentos políticos que ocorrem nos países por onde irão passar.

          Até a presente data, a Bolívia passa por problemas de abastecimentos de alimentos e combustíveis. O novo ministro de Hidrocarbonetos, Víctor Hugo Zamora, disse à rede de televisão boliviana ATB que o abastecimento de gasolina enfrenta dificuldades para chegar a La Paz por causa dos bloqueios de manifestantes. Diversas lojas de La Paz estão fechadas, e as poucas ainda abertas estão cobrando o dobro dos preços normais. A cidade ainda guarda na memória as cenas mais marcantes dos cercos à cidade em 2003 e 2005, naquela ocasião, o cerco recebeu o nome de Tupac Katari, em homenagem a um líder do povo Aimará.

          Além de La Paz, os bloqueios nas estradas também afetaram o comércio de Santa Cruz de La Sierra. Produtores dizem que frutas e outros vegetais estão estragando nos caminhões retidos antes de chegar aos mercados.

          Diante de tudo isso, fica complicado atravessar a fronteira com a Bolívia.



Túpac Katari



          Túpac Katari, nascido Julián Apasa Nina (Ayo Ayo, município de Sica Sica, província de Aroma, 1750 – La Paz, 15 de novembro de 1781), foi um líder de uma rebelião do povo aimará contra as autoridades coloniais espanholas em Alto Peru, na Bolívia, no início da década de 1780.

          É um personagem cercado de mistério. Os documentos oficiais não fazem nenhuma menção a ele até a sua espetacular aparição como comandante do cerco a La Paz. No entanto, a tradição oral, aceita pelos historiadores aimarás, apresenta uma biografia razoavelmente detalhada dele. Segundo esses relatos, Julián Apaza adotou o pseudônimo de Túpac Katari após a morte do líder indígena Tomás Katari.

          Na juventude, Julián havia sido submetido ao regime de trabalho forçado, a mita, e conheceu na prática a realidade da superexploração nas minas do Altiplano andino. Nesse período, já pregava a seus companheiros a necessidade de um levante, embora nada soubesse ainda sobre Túpac Amaru nem sobre Tomás Katari.

          Ao sair das minas, dedicou-se ao comércio itinerante da folha de coca. Em suas viagens, levava a mensagem da necessidade de uma insurreição. Aos poucos, se tornou conhecido e ganhou adeptos que faziam circular as notícias sobre a realidade que os cercava. M

          Nesse período Julián conheceu a história do levante de Túpac Amaru, em Cuzco, e da luta de Tomás Katari. Relacionando-se com articuladores de ambos, recebeu a incumbência de levar, de forma sigilosa, uma correspondência de Túpac Amaru a Tomás Katari, na qual o primeiro dava importantes instruções para organizar o levante nas regiões de Potosí e Oruro.

          No entanto, Tomás Katari morreu antes da chegada do mensageiro, e Julián Apaza ficou com a carta e os documentos, sem ter a quem entregá-los. Diante do impasse, uma assembleia comunitária se reuniu e tomou uma decisão unânime: com a força de Túpac, Julián Apaza daria continuidade à luta de Tomás Katari. Assim nasceu Túpac Katari.

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Lançamento livro - O que vem depois da curva?

          Convido a todos que acompanham este blog que participem do lançamento do livro "O que vem depois da curva?". São pequenas narrativas de histórias vividas sobre duas rodas, nelas estão inseridas algumas dicas sobre organização e planejamento de viagens de longa distancia.

          O lançamento será no dia 26/10/2019, das 09:00h até as 13h, na Road Motoshop, localizada na Rua João Negrão, 1908 em Curitiba.

          Em breve estaremos divulgando o link para aquisição do livro, o qual poderá ser encontrado em algumas livrarias do Brasil.

Rogério Boschini
Expedições Latinas

domingo, 11 de agosto de 2019

Purmamarca e Cerro de los Siete Colores – Jujuy

          Purmamarca é uma parada obrigatória para turista que visitam o norte da Argentina, não só pela beleza da pequena comuna mas também admirar o Cerro de Siete Colores. Purmamarca (purma = deserto, marca = cidade, literalmente significa: “cidade do deserto”), também se traduz: terra não cultivada ou terra virgem, não tocada por mãos humanas. 

          A cidade da Argentina está localizada em Tumbaya, na província de Jujuy , com muitas atrações turísticas naturais, que atrai cada vez mais visitantes todos os dias. Entre os pontos mais visitados, está o Morro das Sete Cores .

Cerro das Siete Colores, grande beleza natural

          O Cerro das Siete Colores , está localizada em uma aldeia indígena a 64 quilômetros da cidade de San Salvador de Jujuy. Fica atrás da cidade de Purmamarca .O Cerro das Siete Colores, é uma formação natural, produto de uma formação geológica ao longo de milhões de anos, composta por sedimentos marinhos, fluviais e lacustres, suas camadas de diferentes tons e cores refletem um tom magnífico, dividido por uma linha Crisp, criando uma das melhores atrações naturais da Argentina e um grande prazer visual para os espectadores. 



Tour da Colina das Sete Cores

          Este sitio arqueológico é uma das montanhas localizadas em torno da Quebrada de Purmamarca, pode ser visitado com seu próprio veículo ou através de excursões a pé da cidade de Purmamarca, o tempo de caminhada é de uma hora a pé. Em seus arredores você pode fazer ensaios fotográficos, cavalgadas, caminhadas e até andar de bicicleta.

         É possível fazer uma pequena caminhada ao longo do Camino de los Colorados ou escalá-lo, você também pode subir para miradouros onde você pode apreciar a cidade de Purmamarca. 

          A dica para quem quer ir até o mirador do Cerro das Siete Colores, é levantar cedo e esperar o nascer do sol, pois os primeiros raios do sol refletidos nas rochas de cores diferentes são de uma beleza indescritível. Entre as cores que você irá apreciar, estão: amarelo, marrom, vermelho, laranja, verde, roxo e branco, que criam um espetáculo natural e único no mundo.



A Colina das Sete Cores e sua composição

1. Rosa: composto de barro vermelho, areia e lama. 
2. Branco: calcário, branco. 
3. Marrom e roxo marrom cores: formado por margas chumbo e árido, com grande carbonato de cálcio. 
4. Vermelho: composto de ferro e argilas pertencentes ao terciário superior. 
5. Verde: formado por filitos, ardósias de óxido de cobre. 
6. Marrom terra: composto de rocha com manganês. 
7. Amarelo: arenito calcário com enxofre.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Nova Trento - SC

          Recentemente fomos convidados a participar de um passeio para a cidade de Nova Trento-SC, o conhecido bate-fica foi promovido pela Road Motoshop, loja de venda de motos e artigos motociclísticos de Curitiba. Em nossa van seguiram familiares dos amigos motociclistas.

          Logo após passarmos pela cidade de Brusque, entramos numa estradinha que vai cortando pequenos distritos pertencentes aquele município, alguns trechos ainda são calçados por pedras em paralelepípedo e nos remetem a um passado um pouco distante, nos lembrando o tempo de imigração europeia.

           A cidade de Nova Trento foi colonizada por italianos oriundos da cidade de Trento, Nova Trento é o segundo destino brasileiro que mais recebe fiéis, peregrinos e romeiros, atrás apenas de Aparecida, em São Paulo. A cidade possui mais de 30 capelas e oratórios, incluindo o Santuário Santa Paulina – consagrado à primeira santa brasileira, que viveu até 1942 na cidade. 

          Existem muitas pousadas na região, nossa opção foi o "CEIC" - Centro de Espiritualidade Imaculada Conceição, é um lugar de acolhida descanso e encontro com Deus, a natureza, as pessoas e com você mesmo. Neste lugar bendito morou a primeira Santa do Brasil e brasileira por naturalização, ela cuidou das pessoas pobres, idosas, doentes, das crianças órfãs ou em situação de vulnerabilidade social.

          No pátio da pousada você poderá apreciar a casa de madeira conservada na sua originalidade desde o século 19, na sala de entrada o Trio Fundacional da Congregação fez sua consagrada definitiva a Deus no dia 07.12.1895, quando mudaram de nome: Amábile Lúcia Visintainer para Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus, Virgínia Rosa Nicolodi para Irmã Matilde da Imaculada Conceição, Teresa Anna Maule para Irmã Inês de São José. No interior da casa existem documentos e objetos históricos.

          O município realiza uma das mais autênticas celebrações da cultura italiana: a Festa Incanto Trentino, com apresentações musicais em dialeto trentino. Embora minuscula, a cidade possui muitos atrativos, quando forem visitá-la, não deixem de degustar os vinhos locais, saborear as deliciosas receitas italianas e apreciar a natureza da região. No alto do Morro da Cruz (525 m), é possível avistar o Rio Tijucas desembocando no mar.

Informações que obtivemos sobre o turismo religioso.

Celebrações Religiosas e Festas locais

* Festa da Canonização de Madre Paulina

          No terceiro domingo de maio, no Santuário de Santa Paulina.

* Festa Litúrgica de Santa Paulina

          Romarias especiais, missas e orações. No segundo domingo de julho.

* Festa da Beatificação de Madre Paulina

          No segundo domingo de outubro, com missas, romarias e orações, no Santuário Santa Paulina.

* Páscoa

          Na véspera da Sexta-Feira da Paixão, os fiéis sobem o Morro da Cruz, passando pelas 14 estações que representam a Via-Sacra. No Sábado de Aleluia e no Domingo de Páscoa são realizadas procissões no Centro e no Santuário Santa Paulina.

* Festa de Santa Cruz

          Procissão ao Morro da Cruz em homenagem à Nossa Senhora do Bom Socorro. No primeiro domingo de maio.

* Incanto Trentino

          Festa típica que celebra as tradições dos imigrantes italianos da região de Trento. Apresentação de canções em dialeto trentino, danças e músicas folclóricas, gastronomia típica, shows e bailes. Ocorre junto com as comemorações do aniversário de emancipação do município, no fim de semana mais próximo de 8 de agosto. Praça del Comune (em frente à Igreja Matriz São Virgílio), Centro. Fone: (48) 3267-1354.


IGREJAS

Santuário Santa Paulina

          O complexo preserva relíquias que fizeram parte da vida de Santa Paulina e da história da fundação da cidade, como o antigo engenho da família, o museu colonial e uma réplica do casebre onde a jovem Irmã Paulina cuidou de doentes. Mais de 40 mil pessoas visitam o santuário todos os meses, especialmente em datas comemorativas e religiosas como a Festa Litúrgica de Santa Paulina, Corpus Christi, Finados, Páscoa e Natal. Diariamente, 7h às 19h.
Rua Madre Paulina, 3.988, Vígolo, a 6 km do Centro.
Fone: (48) 3267-3030.

Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

         Situado no alto do Morro da Cruz, possui no caminho até o topo as 14 estações que representam a Via Sacra. Diariamente, 7h às 18h.
Rua Nossa Senhora do Bom Socorro, s/n, Centro.
Fone: (48) 3267-0127 (Paróquia) / 3267-0318 (Moacir).









GASTRONOMIA


Gastronomia Italiana

          Saindo do centro de Nova Trento em direção ao Santuário, passamos por uma estradinha repleta de lojas, restaurantes, café coloniais entre outros, onde pode-se apreciar a culinária italiana de Nova Trento, saboreando massas, queijos e vinhos. No bairro de Vígolo, próximo ao Santuário de Santa Paulina, há boas opções de restaurantes e vinícolas artesanais.

Enoturismo

Vinícola Castel
Rodovia SC 410, 1230 - Claraiba
Fone: (48) 3267-1075

Vinícola Buono
Rua Madre Paulina, 1272 - Vígolo.
Fone: (48) 3267-1075.

Vinhos Girola
Rua Madre Paulina, 2379 - Vígolo.
Fone: (48) 3267-0709 / 3267-1017.

Vinícola Neotrentina
Rua Madre Paulina, 2021 - Vígolo.
Fone: (48) 267 0714.

Vinhos Vô Luiz
Rua Madre Paulina, s/n - Vigolo.
Fone: (48) 3267 0291.