terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Roupas Segunda Pele

          Falar em segunda pele no Brasil pode soar estranho, mas andar de motocicleta nos estados do sul e sudeste tem tudo a ver.

          A malha térmica, também conhecida como segunda pele, é um acessório indispensável e quase obrigatório para motociclistas que realizam viagens para os lados lá da Cordilheira, ou para aqueles dias de frio intenso e rigoroso no sul do país. 

          A malha térmica (blusa, calça ou luva) mantém a temperatura do corpo estável e oferece conforto para quem usa. Sem falar que ela ainda evita o incômodo de ter que vestir muitas camadas de roupas para se aquecer.

          Essa malha é produzida em tecido especial de alta performance, que além de otimizar a produção do calor permite conduzir o vapor do suor do corpo para a parte externa do tecido. Como consequência, mantém a pele seca e aquecida.

         Um ponto positivo e que precisa sempre ser levado em consideração é a praticidade que esse tipo de peça te traz. Ela pode ser utilizada tanto no ambiente urbano, no dia a dia rotineiro, quanto em atividades ao ar livre na neve durante uma viagem, por exemplo.

          A segunda pele garante proteção e conforto térmico para aquelas pessoas que têm sensibilidade a baixas temperaturas em qualquer que seja a ocasião.
          Bora lá adquirir esse item para sua próxima viagem.







sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Taxi em Santiago - Uma experiência negativa

Foto ilustrativa
          Esta é uma matéria a qual não gostaria de escrever, para mim, Santiago é tudo de bom, um povo muito educado e atencioso, a capital chilena é linda e muito limpa, você anda pelo centro da cidade e os guias turísticos te abordam de forma muito educada, no entanto, fomos surpreendidos.

          Depois de retornar de nossa última viagem guardei um segredo para mim, estava me sentindo um idiota, me lembrei daquele filme "Uma família americana na Europa", onde o pai da família americana se passava por um idiota, foi assim que me senti depois que sai de um táxi.

          A principio achei que tivesse sido um caso isolado, afinal, já havia andando de táxi outras vezes na cidade, é mais pratico e sai mais barato. Por conta disso, deixei passar o pequeno golpe que levei. 

          Porém, isso vinha martelando em minha cabeça, então resolvi encaminhar uma reclamação sobre o assunto para o Ministério de Turismo do Chile, para minha surpresa, no site do Tripadvisor li relatos de diversas pessoas passaram pela mesma situação.

          No meu caso, caí no golpe do taxímetro alterado por controle remoto, percebi que o valor havia subido um pouco rápido e perguntei o motivo, o mesmo me alegou que seria por conta da bandeira dois, como já havia passado das 20 horas deixei quieto, mas de repente o taxímetro deu um pulo mais alto no valor e então percebi que havia algo errado, o que era para ser uns R$ 15,00 saiu por quase R$ 70,00 - Não quis comprar briga, afinal, se um caso desse vai parar numa delegacia a gente acaba levando a pior, ou até mesmo por medo de uma represaria, enfim.

Sky Costanera - Foto by Rogério Boschini
          Depois do fato ocorrido, comecei a analisar melhor a situação, a impressão que tive é que eles agem em grupo. Havíamos acabado de sair do Sky Costanera, um prédio turístico de Santiago, então fomos até a fila de táxi para pegar o primeiro da fila e nos mandaram pegar outro que havia estacionado recentemente, era um sedan da Hiunday, o taxista era jovem, no molho de chave havia um chaveiro da Argentina, até perguntei se ele era argentino e o mesmo me disse que o proprietário do carro.era. Na verdade o golpe já começou em frente ao Sky Costanera.

          Enfim, resolvi realizar essa matéria para orientar nossos amigos viajantes para que tenham cuidado em relação a táxi em Santiago, isso acabou servindo de aprendizagem, infelizmente.

          Conheçam abaixo os tipos de golpes aplicados:


1. A famosa volta a mais, você pede para ir de A para B, ele passa em C, D, E antes. 
2. O golpe das notas falsas.
3. A última novidade eles alteram o taxímetro por controle remoto e a corrida chega a custar 5 vezes mais.
4. Troca de notas, essa acontece no período da noite, você paga com uma nota de $ 10.000 pesos e rapidamente eles mostram que você entregou uma de $ 1.000,00 pesos Cuidado. Na dúvida vá de metro. Se não for possível pense na possibilidade de locar um carro.


          Vejam alguns depoimentos do Tripadvisor





"Mais atual que nunca! Cuidado, os taxistas em Santiago são BANDIDOS! Ladrões! Peguem o metrô!"


"Cuidados, os taxis estao trocando notas de 10 mil pesos por notas de mil pesos, forcando o turista a pagar de novo. Cuidado!!"


"Também cai nesse golpe. Paguei 10.000 e ele troca muito rápido falando que pagamos apenas 1000. Temos que denunciar para que tomem providências."


"Infelizmente é uma pratica antiga, muitos turistas já foram lesados, por isso a importância do Fórun, para partilharmos das nossas experiências, e evitarmos muitos transtornos."

"Andar de taxi em Santiago sofre-se um altíssimo risco golpes. Taxistas extremamente desonestos e grosseiros. Fomos roubados tendo de pagar $30000 (trinta mil!!!) do Costanera Center ao Pátio Bella Vista. Quando questionamos o valor da corrida, fomos intimidados pelo taxista. Como estamos numa situação de extrema vulnerabilidade em pais estranho, o que fazer? Pagar e ficar no prejuízo... Enfim, muita atenção e espero que outros não passem por esse infortúnio. Brasileiros são presas fáceis para os taxistas chilenos."

Se alguém quiser ler mais relatos, acesse o link abaixo: 

https://www.tripadvisor.com.br/ShowTopic-g294305-i2020-k6784789-Golpe_taxis_santiago_Cuidado-Santiago_Santiago_Metropolitan_Region.html


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Revisitando destinos

          O Prazer em revisitar um destino, conheço um motociclista que faz o mesmo destino há muito tempo, ele adora pegar a Rodovia do Café rumo à Colonia Witmarsun, faz isso praticamente todos os domingos, ao chegar lá esta sempre envolta ou por vezes cercado de amigos motociclistas, é sua paixão, tomar um café com amigos e contar seus relatos.

          Bom, isso é um roteiro local, mas, e nas viagens lonas? Geralmente quando menciono que estou a caminho de San Pedro de Atacama - Chile vem as  perguntas: "de novo? o que você perdeu por lá? porque não vai para outras bandas?"

          Bom, um dos motivos para revisitar San Pedro de Atacama foi o fato de não ter conseguido visitar alguns pontos turísticos, os Gêiseres del Tatio por exemplo, na primeira viagem faltava experiência, viajei sozinho, na segunda a cidade serviu apenas de pernoite, na terceira levamos um calote do agente de turismo e enfim os gêiseres na quarta visita. Bom, de tanto passar por lá aprendemos o caminho e então passamos a formar grupos para viagens de moto até Atacama e Antofagasta.
Puente del Inca 2013 e 2017

          Outro motivo pelo qual faço o mesmo trecho é tem seus motivos, minhas viagens longas ocorrem nas férias, então tento aproveitar o máximo, o detalhe é que as minhas férias nunca são de trinta dias, minha atividade não permite ficar mais de duas semanas fora. Costumamos dizer a nós mesmo para aproveitarmos ao máximo, porém, muitas vezes o tempo é curto.

          Também é comum ouvirmos as pessoas falando para curtir bastante, afinal, talvez nunca mais volte naquele local, não é mesmo? Mas, e se você voltar? Será que tudo vai ser igual ou algo vai mudar?

          Nunca é a mesma coisa, até mesmo a estrada que nos leva ao destino nos trás emoções diferentes,  as memórias daquele determinado lugar servirão para que você enxergue de outra forma, mais critica, a partir da  revisita poderá olhar com mais detalhes, ou até mesmo ir atras de mais atrações turísticas naquele local.

La Mano 2013 e 2017

          Quanto tempo seria necessário para conhecer em detalhes uma cidade como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre? Conhecer bem seus pontos turísticos, sua gastronomia, teatros, comércio e seus artesanatos. Não importa quantos dias passou lá, com certeza você ainda não conheceu aquele destino de ponta a ponta.

          Voltar ao destino que você mais curtiu conhecer, pode ser a chance de colecionar novas e eternas emoções, percebe a importância da revisita?
        
          Santiago é uma cidade a ser revisitada, já passamos por lá em 2013 e 2017, na primeira viagem a cidade serviu apenas de pernoite, já na segunda viagem foi turismo mesmo e ficou com gostinho de quero mais.

          Outro motivo para revisitar uma cidade seria o fato de não ter gostado do local em sua primeira visita. Muitos elogiam Buenos Aires por exemplo, mas nós não tivemos uma experiencia positiva por lá, nem por isso deixaremos de revisitar. Devemos considerar as circunstâncias que nos cercavam, o fato de ter sido mal atendido por esse ou aquele hotel não significa que toda a cidade seja assim.

          Então, programe a sua viagem e curta tudo de novo. Mas não se esqueça de aproveitar para conhecer lugares novos e fazer atividades que nunca fez por lá antes. Permita-se e novas emoções e lembranças você vai conseguir acumular!

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Caminhos do Contestado - Santa Catarina

Portal de Canoinhas
          O "Caminhos do Contestado" envolve os municípios do Planalto Norte Catarinense, região conhecida pelo Tropeirismo e pela Guerra do Contestado, caminhos estes já percorridos em diversos em algumas ocasiões por Expedições Latinas e  nessa matéria pretendemos revelar a identidade dessa região, formada por diferentes etnias com suas culturas, gastronomias e arquiteturas em meio a paisagens deslumbrantes, testemunhas de importantes acontecimentos históricos.

          Este é um passeio é indicado amigos motociclistas que gostam de conciliar passeios e história, por isso iremos explicar antes o que foi a Guerra do Contestado, depois falaremos sobre as cidades.

          A Guerra do Contestado foi um conflito armado entre a população cabocla e os representantes dos poderes estaduais e federal brasileiro travado entre outubro de 1912 a agosto de 1916, numa região rica em erva-mate e madeira  disputada pelos estados brasileiros do Paraná e de Santa Catarina.

          Originada nos problemas sociais, decorrentes principalmente da falta de regularização da posse de terras e da insatisfação da população hipossuficiente, numa região em que a presença do poder publico era pifia, o embate foi agravado ainda pelo fanatismo religioso, expresso pelo messianismo e crença nos monges , que por parte dos caboclos revoltados, tratava-se de uma guerra santa.

          Um monge muito conhecido dos paranaenses participou dessa guerra, o beato José Maria, este pregava a criação de um mundo novo, regido pelas leis de Deus, onde todos viveriam em paz, com prosperidade justiça e terras para trabalhar. José Maria conseguiu reunir milhares de seguidores, principalmente de camponeses sem terras.

          A região fronteiriça entre os estados do Paraná e Santa Catarina, área de 48.000 km² recebeu o nome de Contestado em razão do litigio entre Paraná e Santa Catarina e ao conflito social, ocorrido na mesma área e período denominado de Guerra do Contestado, onde os pequenos agricultores contestaram a doação de terras que o governo brasileiro fez à Brazil Railway Company e à Southern Brazil Lumber et Colonization Company.

          A guerra terminou somente em 1916, quando as tropas oficiais conseguiram prender Adeodato, que era um dos chefes do último reduto de rebeldes da revolta. Ele foi condenado a trinta anos de prisão.

          Como foi uma região de muitos conflitos, ficou conhecida como Contestado, justamente por ser uma região de disputas de limites entre os dois estados brasileiros.


As cidades: 

MAFRA

          Mafra é considerada cidade pólo do planalto norte de Santa Catarina, e tem sua história unida à de Rio Negro, no Paraná, pois antes da mudança dos limites entre os dois estados, as duas cidades faziam parte de um único município. Colonizada por diversos povos, mantém as tradições em centros culturais e em grupos folclóricos como o Bucovino Boarischer Wind (alemão) e o Vesná (ucraniano).

          Visite a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, templo de fé dos ucranianos que vivem na cidade, e a ponte metálica Dr. Dinis Assis Henning sobre o Rio Negro. 

          Diversos eventos são realizados durante o ano: A Festa de São José, em março; Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, tradicional na comunidade ucraniana em homenagem à padroeira, em junho; a Festa Bucovina, tradicional comemoração dos bucovinos, com atividades folclóricas e culturais, comidas típicas e muita animação, em julho. Em setembro ocorre a Festa do Produtor, a qual faz parte das comemorações do aniversário do município, e a Festa de Nossa Senhora Aparecida, em outubro. 

          Além da infraestrutura turística existente, Mafra também conta com turismo ecológico, que dispõe de passeios por florestas, cachoeiras, áreas rurais, usinas e sítios paleontológicos.

Museu da Terra e da Vida

Cenpáleo Centro Paleontológico da Universidade do Contestado

          Você vai fazer uma viagem na história da vida passada do nosso planeta, através de fósseis de plantas e animais que habitaram a região há milhões de anos, bem como fósseis de outras regiões do Brasil e de outros países, como dinossauros e pterossauros.

Endereço: Universidade do Contestado, Campus de Mafra. Av. presidente Nereu ramos, 1071. Mafra SC. 
Contato: (47)3641-5500

Horário: de segunda à sexta feira das 08:30 as 17h

Maquetes da Guerra do Contestado

Exposição na Universidade do Contestado - UnC

          Maquetes retratando os principais conflitos da Guerra do Contestado. São seis módulos, ricos em detelhes, com os personagens em palha de milho, elaborado e desenvolvido pelo artesão Meinrad Horn, conhecido carinhosamente como "alemão".

Endereço: Universidade do Contestado, Campus de Mafra. Av. presidente Nereu ramos, 1071. Mafra SC.
Contato: (47) 3641-5500.


ITAIOPOLIS


          As terras hoje ocupadas pelo município começaram a ser desbravadas a partir do ano de 1891 por imigrantes europeus, principalmente poloneses, ucranianos e alemães. Naquela época, a Colônia Lucena (atual Itaiópolis) pertencia ao Estado do Paraná, passando a distrito de Mafra em 1917 após um acordo firmado entre os estados de Santa Catarina e Paraná, por ocasião da Guerra do Contestado.

          Em 28 de outubro de 1918, Itaiópolis é elevada à condição de município. Os colonizadores, sobretudo poloneses e ucranianos, semearam sua magnífica cultura, hoje vislumbrada nas edificações, no artesanato, no cultivo da terra, nas manifestações folclóricas, no idioma, e todos os demais aspectos que compõem a cidade de Itaiópolis.


Monumento aos Imigrantes

          Monumento em homenagem aos imigrantes poloneses e ucranianos. Feito pelas artistas Aline Valiati, Sandra Levandoski Rech e Jozieli Valiatti. O monumento é composto pela pêssanka, Nossa Senhora de Monte Claro, flores estilizadas, águia branca símbolo da Polônia e o brasão de Itaiópolis.


Artesanato

Centro de Recepção de Visitantes

          A Arte Eslava está representada em Itaiópolis nas pêssankas, ovos decorados com signos e cores, possuem poderes de talismã; os bordados ucranianos destacam-se pelas cores vibrantes; e o wycinanki – arte de recortar papéis com desenhos figurativos e mandalas utilizado para decorar o interior das casas. O artesanato cultural está disponível no Centro de Recepção de Visitantes.


Núcleo Histórico de Alto Paraguaçu

          Tombado pelo IPHAN, possui elevado valor histórico e paisagístico no contexto do patrimônio cultural da imigração. Conta com casas típicas, Capelinhas do Rosário, Igreja Santo Estanislau (maior igreja construida por imigrantes poloneses na América Latina) e Casa Polaski (Sede da Associação Cultural Polonesa).



CANOINHAS

          Na praça central da cidade, uma cuia gigante invoca a memória do passado dedicado à extração de erva-mate, embora esta não seja mais a principal fonte de renda do município. Atualmente, as ervateiras dividem espaço em importância econômica com outros produtos agrícolas e com a indústria de beneficiamento de papel.

          A cidade tem ruas bem traçadas, largas e longas, que rasgam as suaves colinas na região do planalto, e apresenta uma grande diversidade étnica entre seus 52 mil habitantes. Passagem de expedições no século XVIII e rota de tropeiros no século XIX, a primeira corrente migratória recebida foi de paulistas, incluindo portugueses, espanhóis e caboclos. Depois chegaram os alemães, poloneses e ucranianos e, posteriormente, sírio-libaneses e italianos. As diferentes associações culturais e grupos folclóricos revivem as tradições dos pioneiros através da música, da dança e da gastronomia.

          Localizada praticamente na fronteira com o Paraná, Canoinhas é considerada o epicentro da Guerra do Contestado. Na época, o conflito envolveu pessoas influentes da cidade, que defenderam os limites geográficos de Santa Catarina. De acordo com pesquisas, a então vila de 500 habitantes chegou a abrigar mais de 2.000 soldados para a defesa dos constantes ataques de sertanejos. Há registros históricos de mais de 20 combates.

Ervateira Dranka

          Mostra como acontece o processamento industrial da erva-mate, possui uma loja completa com diversos artigos e produtos relacionados à erva-mate. 
Endereço: Rodovia BR 280, Km 233 – Bairro Piedade. Horário: 9h às 12h e 13:30 às 18h (com agendamento). Fone: (47) 3622-2068.

Cervejaria Canoinhense

          Mais de 100 anos de tradição na fabricação de cerveja e chope artesanais, além de outras bebidas. Possui uma interessante coleção de animais taxidermizados.
Endereço: Rua Três de Maio, 222 – Centro. Horário: de segunda à sábado, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Fone: (47) 3622-0358



Doces e Fricotes

          Aconchegante casa com gastronomia diversificada, almoço típico alemão no primeiro domingo de cada mês. Refeições a la carte e buffet, café colonial, lanches e festivais gastronômicos. Café da manhã especial de segunda a sábado das 7:30 às 10:30.

Endereço: Rua Francisco de Paula Pereira, 624 – Centro. Horário: segunda à sábado das 9:30 às 23h e almoço todos os domingos.
Fone: (47) 3622-3225.




IRINEOPÓLIS

          Irineópolis é uma cidade interiorana bonita e pacata, na qual o extrativismo vegetal e a agricultura representam 85% da economia. A região tem belas várzeas e planaltos e os pontos mais elevados da região são a Serra Grande, com 1.143m de altitude, e a Serra do Tamanduá, com 1.193m. 

          As tradições dos seus colonizadores são mantidas por meio dos encontros de seus descendentes, promovidos pela Igreja Católica. 

          A cidade faz divisa com Paula Freitas-PR por meio do Rio Iguaçu. Existe uma balsa sem motor movida por tração manual que faz a travessia dos moradores pelo rio. Além disso, Irineópolis possui diversos pontos espelhados pelo interior do município que foram palcos de batalhas da Guerra do Contestado (1912-1916). Entre eles, o morro da Maria Rosa e a Gruta do Monge João Maria.

Estância Hidromineral Águas de Valões

          Fonte de água mineral alcalina bicarbonada, descoberta na década de 30. A Estância Hidromineral Águas de Valões oferece momentos de lazer integrado a exuberante beleza natural e hospedagem em bangalôs.

Rua Amazonas, 166 Centro 
Fone: (47) 3625 1149 - Email: lealuiza@matrix.com.br



Casarão Domit

          Museu histórico e cultural abriga rico acervo pelos cômodos da casa. Construído em 1929, seu proprietário foi responsável pelo processo de pacificação política após a Guerra do Contestado.

Rodovia SC 460 – Km 04 47 3625 1232 / 42 9975 1409 / 42 8850 1661
Contato: Roberto Domit de Oliveira e Marília Oliveira com agendamento
Tempo de visitação: 1 hora - Email: engdomit@yahoo.com.br




PORTO UNIÃO


        Como povoado, a cidade começa em 1842, em descoberta do Vau, no Rio Iguaçu, - lugar no rio de baixa profundidade que facilitou as passagens das tropas que vinham dos campos de Palmas. Esse lugar era também o ponto de embarque e desembarque para quem se valia do Iguaçu como meio de transporte. Daí o primeiro nome: Porto da União. 

          A pequena vila cresce e em 1855 tem seu nome mudado para Porto União da Vitória. Em 1880 chegam de Palmas para se estabelecer no comércio, com a compra e venda de sal, o Coronel Amazonas Marcondes. No ano seguinte tem início a navegação a vapor no Rio Iguaçu transportando passageiros e mercadorias. 

          O grande rio sempre esteve ligado à vida e a história da cidade, desde suas origens, acariciando ou castigando-a, às vezes. A partir deste ano chegam os primeiros colonos de origem européia, na maioria alemães. Mais tarde aportam outras etnias: poloneses, ucranianos, austríacos e russos. No início do século XX, chegam os libaneses. A cidade desenvolveu-se e em 1901, é criado o município de União da Vitória. 

          Em 1912 tem início conflitos do Contestado que se prolongam até 1916. Em 5 de setembro de 1917 é criado o município de Porto União que a partir daí, passa a conviver, em todos os aspectos, com a parte da cidade que ficou do lado paranaense.

Restaurante Portal das Palmeiras - Almoço

          Ambiente rústico e agradável, localizado ao lado do portal da cidade, oferece diversas opções gastronômicas e espaço para eventos. Comida caseira, pratos típicos, sopas, feijoada e café colonial servido na mesa.

Endereço: Rua Exp. Edmundo Arrabar 4601. Fone: (42) 3522-0528.
Contato: Raquel Inês da Silva dos Santos. Horário: segunda a domingo 8h às 17h. Segunda 8h às 15h.
E-mail: eventos@portaldaspalme





Parque Monge João Maria

          As passarelas do Parque conduzem o visitante ao pocinho abençoado pelo Monge. Segundo a crença popular, nesse local teria descansado e cavado um poço, o Monge João Maria, profeta que viveu na época dos conflitos da Guerra do Contestado. Local de fé, que nos dias atuais ainda é usado em cerimonias de batismo pela comunidade.

Endereço: Alto da Rua Sete de Setembro. Horário: segunda a domingo das 8h às 18h. Tempo de visita 30min



MUSEU SALUSTIANO COSTA JUNIOR

          Villa Gema a moradia da Família de Raphael Benghi e Gemma Balardine Benghi foi concluída em 1930 com projeto do arquiteto italiano Carlo Conti. Construção sólida e estilo eclético, abriga a Secretaria de Cultura e Turismo de Porto União, o Museu.


ESTAÇÃO FERROVIÁRIA UNIÃO

          Construção da década de 40, uma das únicas no mundo que integra duas cidades e dois estados. A linha férrea é o limite geográfico entre Santa Catarina e Paraná.

Endereço: Praça Hercílio Luz, Centro. Tempo de visita: 30min

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Uruguai - Preparando malas e documentos

          Seu próximo destino é o Uruguai? Punta del Este? Montevideo? Colonia Sacramento?

          Bora lá conferir algumas providências para não ter uma viagem frustrada por conta de algum imprevisto.


a) Documentação da moto - verificar se IPVA, seguro obrigatório e licenciamento estão devidamente pagos e principalmente, se já estão de posse dos documentos atualizados.


b) Leasing e Financiamento: Veículos financiados através de Leasing devem ter autorização para saída do país, afinal, o veículo nesse caso esta em nome da financeira, é só ligar para o 0800 e solicitar, algumas cobram uma pequena taxa e a entrega leva em média de 10 a 15 dias. Após recepcionar essa autorização você deve levar até um cartório e providenciar o Apostilamento de Haya, custa em média R$ 120,00 (Curitiba).

Em relação aos veículos financiados via CDC, para o Uruguai não é necessário pedir a autorização, afinal, o veículo esta em seu nome, PORÉM, leia seu contrato de CDC, caso esteja previsto em seu contrato a obrigatoriedade de pedir autorização, você deverá pedir, E SE EU NÃO PEDIR??? Nesse caso você corre o risco de não ser ressarcido pela sua seguradora caso sua moto seja roubada ou então caso você sofra algum acidente lá fora.  

c) Habilitação - Verifique se a sua carteira de habilitação esta dentro do prazo de validade, o PID (veja mais abaixo) não é obrigatório na América do Sul, mas agiliza procedimentos.

d) Passaporte - O Uruguai faz parte do Mercosul, então não é obrigatório a apresentação de passaporte. Mesmo não sendo obrigatório, é interessante levar, tendo em vista as facilidades nos trâmites na aduana com preenchimento de formulários.


e) Vacinação - NÃO É OBRIGATÓRIO levar o Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela, a vacinação é recomenda pela O.M.S., O certificado é valido por 10 anos a partir do décimo dia após a aplicação da vacina. Não podem tomar a vacina: mulheres grávidas, mulheres amamentando, crianças de até 6 meses, quem tem alergia à albumina (proteína do ovo), diabéticos e portadores do vírus da AIDS, quem faz quimioterapia, recém-transplantados e portadores de doenças crônicas. As vacinas tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), DT (difteria e tétano) e hepatite B são indicadas como prevenção para qualquer destino. Essas vacinas NÃO são obrigatórias nem pro Peru e nem pra Bolívia, é apenas uma recomendação. Procure orientação médica antes de tomar qualquer medicamento. Não deixe para tomar a vacina na última hora.

f) Carteira Internacional de Habilitação: Não é obrigatório 

PID - É um documento que permite que o condutor dirija nos países conforme previsto na Convenção de Viena e demais Acordos Internacionais. Somente condutores cadastrados no DETRAN/PR e que já possuam CNH com foto poderão solicitar.

Para obter a permissão o condutor deverá possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), devendo esta estar vigente. O prazo de validade da PID, a categoria da habilitação e as restrições médicas são os mesmos referentes a CNH e na hipótese de ocorrer qualquer alteração no cadastro do condutor a mesma deverá ser incluída no respectivo documento internacional de habilitação.

g) Carta Verde: A Carta Verde é um seguro obrigatório para os carros que pretendem trafegar pelos países do Mercosul, portanto valido para Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina.

Reembolso ao segurado, até a importância segurada, das quantias que tiver de pagar por ser civilmente responsável por acidente que causar:
  • danos pessoais, morte, invalidez permanente e despesas médico-hospitalares; 
  • danos materiais. 
Pode ser adquirido em qualquer seguradora no Brasil

h) Colete Refletivo: Não adianta reclamar com esse que vos escreve, no Uruguai a legislação prevê a obrigatoriedade da utilização desse item:


Ley Nº 19.061
TRÁNSITO Y SEGURIDAD VIAL EN EL TERRITORIO NACIONAL
SE DISPONEN NORMAS COMPLEMENTARIAS A LA LEY Nº 18.191
El Senado y la Cámara de Representantes de la República Oriental del Uruguay, reunidos en Asamblea General, 
DECRETAN:
.................

CAPÍTULO IV 

DE LOS DISPOSITIVOS Y ELEMENTOS DE SEGURIDAD PASIVA Y
ACTIVA PARA CICLISTAS Y MOTOCICLISTAS 

Artículo 7º.- A partir de los ciento ochenta días de la promulgación de la presente ley, será obligatorio para los conductores y acompañantes de motos, ciclomotores, motocicletas, cuadriciclos o similares, el uso permanente durante su circulación en todas las vías públicas, de un chaleco o campera reflectivos o, en su defecto, bandas reflectivas que cumplan con las exigencias técnicas de reflexión de acuerdo con lo que fije la reglamentación.









quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Mal súbito - Saiba como tentar evitar

Rogério Boschini numa viagem de 10.500 km em 2014 -
Uma linda viagem, porém, pouca orientação
sobre assuntos relacionados à saúde
          Conheci Rodrigo GS em Corrientes, na Argentina. Ele viajava com sua GS 1200 e esta apresentava problemas de vazamento de óleo no cardan. Um chileno que residia no Rio de Janeiro fazia uns 20 anos. Nos encontramos na casa de Ramiro Schmidt, um argentino muito bacana que ofereceu apoio a esses dois motociclistas com problemas, a minha moto estava com problemas no estator. 

          Passado algum tempo fui surpreendido por Ramiro, o mesmo me informou que Rodrigo GS havia falecido numa estrada próximo a Cascavel no Paraná, fui atrás das notícias e descobri que o problema tinha sido queda ocasionada por um mal súbito enquanto ele pilotava.

          A notícia me deixou aborrecido, uns três meses antes veio a notícia de falecimento de um motociclista experiente pelo mesmo motivo, então fui atrás de informações para poder ficar esclarecido sobre o assunto e isso me assustou a ponto de cancelar o "Projeto Bun Burner", uma prova onde iria percorrer uns 2.500 km em 36 horas

          
Quais são os sintomas do mal súbito? 

          Esta é uma primeira pergunta que vem à nossa mente. Geralmente relacionamos esse tipo de problemas de saúde à terceira idade, mas a história não funciona exatamente assim. Na infância, juventude ou início da vida adulta elas podem sofrer uma morte inesperada por causa de mal súbito.

          Uma informação que assustou nessa pesquisa é que o mal súbito mata 212 mil pessoas por ano no Brasil. Só no estado de São Paulo, o problema faz mais de 20 mil vítimas fatais anualmente. Este número é bastante preocupante e requer que as pessoas fiquem atentas aos indícios que sinalizam o problema.

O que é mal súbito?

         O mal súbito é qualquer sintoma clínico que caracteriza a perda súbita da consciência, ou seja, das funções principais do indivíduo. O problema se manifesta de repente, em pessoas aparentemente saudáveis.

          De todos os casos de mal súbito, cerca de 90% são desencadeados por arritmias cardíacas. O coração da vítima deixa de bater normalmente e adquire batimentos descompassados. Este movimento, por sua vez, não é suficiente para enviar o oxigênio aos órgãos vitais.

Quais são os sintomas?

          Não existe uma forma de identificar o mal súbito, pois como o próprio nome já diz, ele acontece de repente. No entanto, é possível identificar os sinais de algumas doenças que desencadeiam esta perda súbita de consciência, que na maioria das vezes, leva à morte.

          O infarto agudo do miocárdio e as arritmias são os principais causadores do mal súbito. Estes problemas cardíacos podem se manifestar através de incômodo peso ou dor no peito, batimentos acelerados, ânsia de vômito, dores de cabeça inexplicáveis, formigamento no corpo, falta de ar, tontura, palidez sudorese e desmaio.

Como evitar o mal súbito?

          Complicado não é? Por isso coloquei "tentar evitar" no título, mas se observamos os sintomas e tomarmos alguns cuidados poderemos diminuir as possibilidades.

  • Durante a viagem, mantenha-se alimentado e hidratado.
  • Dê preferência a alimentos leves e de fácil digestão, como frutas, legumes e verduras.
  • Evite doces, frituras e gorduras.
  • Durma bem antes de qualquer viagem de moto. O sono e o cansaço são grandes inimigos da viagem segura.
  • Antes de dirigir, não faça refeições pesadas. A digestão demorada aumenta a sonolência.
  • Na estrada, não descuide nem por um instante. Muita atenção ao realizar ultrapassagens. Só ultrapasse quando tiver certeza de que é seguro.
  • Não use estimulantes como rebite e outros produtos. Você pode até ficar alerta, mas o corpo continua cansado e, quando o efeito passar, você será pego de surpresa.
  • Quando o cansaço começar a bater, não insista. Pare em lugar seguro e descanse um pouco.
  • O condutor deve programar paradas a cada três horas, caso ele pilote por mais de quatro horas seguidas, corre o risco de comprometer sua circulação e, consequentemente, os seus movimentos, por permanecer muito tempo na mesma posição.
  • Se dirigir, não beba. Álcool provoca sonolência, desatenção, reflexos lentos, entre outras consequências.

Como agir nessa hora




terça-feira, 28 de novembro de 2017

Parque Estadual de Campinhos - Tunas do Paraná

          Já se imaginou passando por fendas entre a montanha sem nenhuma iluminação natural, apenas utilizando lanternas? Assim é a Gruta dos Jesuítas, localizada no Parque Estadual de Campinhos, em Tunas do Paraná, a 70 quilômetros de Curitiba. A primeira unidade de conservação criada para proteger o patrimônio espeleológico do Paraná, em 1960, abriga em suas cavernas muitas maravilhas esculpidas pela natureza há milhares de anos.

          A visita é realizada apenas com acompanhamento de guias do parque, a utilização de capacetes e lanternas é obrigatória, esses itens são fornecidos aos visitantes.


          Campinhos foi a primeira unidade de conservação criada para proteger o patrimônio espeleológico (cavernas) do estado. 

          Do centro de visitantes até a entrada da Gruta dos Jesuítas, principal atração do parque, são 500 metros de caminhada em meio a uma exuberante floresta. A gruta é a quinta maior caverna do estado em extensão. São 1.400 metros, parte acompanhada pelo fluxo de um rio que corre dentro da gruta. 



          Não existe iluminação dentro da caverna, os primeiros metros de caminhada no interior da caverna são feitos sem auxílio da lanterna, mas aos poucos a luz vai desaparecendo até a escuridão tomar conta por completo do ambiente. Então, com a ajuda da lanterna os visitantes começam a observar as formas esculpidas pela água ao longo de milhares de anos. 

          Com uma boa dose de imaginação, além das tradicionais estalactites e estalagmites, é possível ver nas formações minerais que estão dentro da caverna imagens como macaco, jacaré, bolo confeitado, sorvete e outras que vão sendo apresentadas aos visitantes pelos guias.

          Quando a estalactite, que se forma de cima para baixo, se junta com uma estalagmite, que se forma de baixo para cima dentro da caverna, se forma uma coluna. Em Campinhos está a maior coluna de uma caverna do Paraná, com 9 metros de altura. 

          O parque também possui ainda uma trilha de 900 metros que passa por uma floresta com araucárias, onde é possível observar diversas espécies nativas, como o Pinheiro-do-Paraná, a Imbuia e a Erva-mate. 


Como chegar: Pela Rodovia BR-476, a 60 KM de Curitiba. 

O grande pecado do Parque Estadual é não abrir aos finais de semana e nem nos feriados, ficando restrito 

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: de terça a sexta-feira, das 9h às 16h, com entrada na caverna até as 14h30. Isso mesmo - o grande pecado é não funcionar aos sábados e domingos (nem nos feriados).


Nas segundas-feiras o parque fecha para manutenção interna. 

VISITAS AGENDADAS: grupos acima de 15 visitantes deverão agendar a visita com 20 dias de antecedência, pelo telefone (41)3659-1428. 

EQUIPAMENTOS: É recomendado aos visitantes usar tênis ou botas com solado antiderrapante, lanternas para auxiliar na iluminação dentro da gruta, levar lanches e água, pois no local não há venda de alimentos ou bebidas.