quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O magnífico Valle de La Luna


          Saindo de San Pedro de Atacama no Chile com destino a Calama pela Ruta CH 23 você encontrará o Valle de La Luna, são pouco mais de 5 km da cidade. Ali você poderá tirar belas fotos gratuitamente e poderá acompanhar um por do sol magnifico no Mirador Piedra del Coyote, no entanto, se você quiser uma aventura mais emocionante deverá chegar até a entrada principal do Valle de la Luna, fica a 17 Km de San Pedro de Atacama dentro da Reserva Nacional los Flamencos que também engloba outras área de turismo da região. Ali é necessário pagar uma taxa de entrada de 3.000 pesos chilenos. Mesmo contratando o serviço de agência, este valor não está incluso no preço do passeio.

          As agências de turismo geralmente já fazem o pacote Valle de la Luna e Valle de la Muerte no mesmo tour. Você sai da cidade por volta das 16h com destino ao Valle de la Luna e o passeio termina após o pôr-do-sol, perto das 20h. Esse horário é escolhido por duas razões: a mais óbvia é que, no fim da tarde, as temperaturas já não estão tão escaldantes, e a segunda é porque um dos grandes baratos desse passeio é ver o pôr do sol sobre o deserto. É de arrepiar.

          O Valle de la Luna fica na Cordilheira do Sal e tem este nome pela sua superfície lembrar a superfície da Lua: o terreno é acidentado e é coberto por uma camada de sal, deixando sua superfície branca. Talvez o fato mais interessante deste local é que a NASA fez testes na região com a veículo Mars Rover antes de ser enviado para Marte. 

          Essa paisagem seca, que se transforma dia após dia, inacreditavelmente já foi coberta pelo gelo dos glaciares, que desapareceram depois que a Cordilheira dos Andes se ergueu, como resultado do atrito entre placas tectônicas.

          Neste passeio você passará pelas Três Marias, Cuevas de Sal, Anfiteatro e a Grande Duna.


Três Marias

          São formações de pedra esculpidas por erosão pelo sal e do vento do deserto, também são conhecidas como "The Watchers".

          Os principais componentes dessas esculturas verticais são: granito, pedras de quartzo, gemas e barro, especialistas dizem que estas esculturas datam mais de mil anos, mas isto não esta comprovado, sabe-se apenas que elas são o resultado de transformações contínuas da crosta terrestre.

          Infelizmente, as Três Marias perderam parte do seu patrimônio, graças a um turista que estava tirando suas fotografias e acabou quebrando uma parte dela.


Cuevas de Sal

          Em meio ao espetacular Valle da Luna, estão outras esculturas naturais que formam as cavernas de sal, estas formações são caracterizados por pedaços de sal-gema. Estes cristais foram formados ao longo dos séculos pela ação da alta pressão e por estarem em um ambiente livre de umidade. Para os mais aventureiros, há a possibilidade de entrar e explorar as cavernas, sempre seguindo as instruções dos guias locais.




Anfiteatro

          Visto de longe, o Anfiteatro é uma enorme formação rochosa arredondada que lembra mesmo um estádio de futebol ou o Coliseu, em Roma. Nele e em todas as rochas ao redor as camadas funcionam como linhas do tempo, por onde os cientistas identificam também a variação de temperatura no deserto ao longo dos séculos.






Grande Duna

          Na região do Valle de La Luna encontramos também a Grande Duna, uma imensidão de areia que nos remete aos filmes passados em desertos do Saara, O detalhe é que essa duna não se movimenta com os ventos, isso acontece pelo fato dela estar sobre uma grande rocha. Não se pode caminhar nessas Dunas, existem placas indicando a proibição, mas infelizmente percebe-se que alguns turistas não levam a sério essa proibição.





O Por do Sol no Valle de La Luna
   
          O ponto máximo da visita é acompanhar o por do sol no Valle, o passeio é encerrado com uma escalada numa das montanhas próximas da Duna Maior, um local com mirante excepcional onde diversos turistas aguardam  o fim da tarde. Nessa área você fica posicionado no alto e, com isso, sua visão tem um grande alcance das belezas do Atacama. Esse lugar tem um visual lindo para o pôr do sol e se você notar, quando o sol se põe, o céu ao lado contrário do sol fica rosado-o espetáculo de cores é fora de série.





          Em nossa visita pelo Valle de La Luna encontramos dois grupos de motociclista, um deles vindo da Italia, eles alugaram as Triumph 800 para percorrer quase toda a América Latina, infelizmente deixaram de vir ao Brasi, não quiseram falar o motivo, enfim. Já o outro grupo eram de motociclistas de Porto Alegre e como esse mundo é fantástico, são amigos do Pedro e do Brasil, motociclistas que conhecemos na Estrada da Morte - Bolívia.





Algumas pequenas dicas para este tour:

          Ele deve ser feito no horário da tarde, nem pense em aceitar ir lá em um horário diferente, isto porque o ponto alto é ver o pôr do sol no Valle de la Luna.

          Sempre que saímos no Atacama precisamos levar água, mas neste tour é preciso levar mais que o normal, pois saímos no final da tarde e só retornamos a San Pedro de Atacama por volta das 21h. Então, se não quiser morrer de sede, como eu quase morri, leve bastante água.

         Leve uma lanterna para usar na caverna das Cuevas de Sal, apesar dos guias levarem 2 ou 3, elas não são suficientes para todo o grupo

         O tour termina ao anoitecer quando a temperatura caí no Atacama, se for sensível ao frio leve ao menos um agasalho leve

         





























Nenhum comentário:

Postar um comentário