quinta-feira, 12 de maio de 2016

Rípio - emoção na rota


          Viajar numa estrada de cascalhos, onde a moto em muitos pontos dança de um lado para o outro, é uma experiência fantástica e de muita adrenalina. Essas estradas são encontradas em países como a Argentina, Chile e Bolívia, elas são compostas de uma mistura de cascalho, muitas vezes pedras vulcânicas que lembram um pouco as nossas britas, boas para estragar um pneu, em alguns lugares tem os seixos, umas pedras mais arredondadas de tamanhos variados podendo ter o tamanho de uma laranja. Essa mistura de pedras é espalhada pelo leito da estrada, formando uma camada de uns 10 a 30 cm de espessura que é alisada periodicamente com motoniveladoras.


          Nessas estradas também é comum encontrar bancos de areia, que podem te levar ao chão dependendo a forma como você entrar na mesma, evite frear com a dianteira, você poderá travar sua roda na areia e isso te levará ao chão.

          Geralmente essas estradas são muito largas, o motivo é para que carros não espirrem pedras em outros carros, a dica aqui para os motociclistas é procurar evitar andar ao centro dessas estradas, diminua também a sua velocidade, justamente por esse motivo citado.

          De acordo com Renato Lopes, motociclistas experiente, na pilotagem de uma moto estilo big trail para não correr o risco de perder o controle e/ou enterrar a roda dianteira no rípio, o piloto deve ficar em pé na moto, com o corpo levemente inclinado para trás para aliviando o peso na roda dianteira e aumentando na traseira, o que dará mais tração. Use uma marcha mais reduzida e acelere mantendo uma velocidade constante, com o motor sempre em alta rotação para poder conseguir obter uma resposta rápida da moto, caso precise retomar o controle da trajetória com uma aceleração mais forte.

          Na Argentina temos a Ruta 40, para viajantes mundo afora, esta lendária estrada está para a Argentina assim como a Route 66 está para os EUA. A Ruta atravessa a Argentina de norte a sul, possui 5.140 km e esta quase toda asfaltada, porém ainda existem muitos quilômetros no cascalho nos campos desertos da Patagônia. Ela foi criada por volta de 1932 e era utilizada por povos pré-colombianos e pré-incaicos, nos seus deslocamentos e desenvolvimentos locais, sendo assim, a Ruta 40, faz parte da própria evolução e desenvolvimento da Argentina.













          

7 comentários:

  1. Muito interessante as observaçoes aqui vertidas sobre o que e rodar numa estrada de ripio..

    ResponderExcluir
  2. Valeu Antonio Braga - é um blog amador, contando um pouco das viagens e agregando um pouco de informações que vou ouvindo daqui e dali, é lógico que muitas das informações já estão saturadas por motociclistas com mais experiência, eu ainda tô gatinhando nesse mundo fascinante que é o motociclismo.

    ResponderExcluir
  3. Temos também a Carretera Austral, Rota menos explorada, porém de rara beleza , mais estreita e sinuosa que a 40 e também em processo de pavimentação.
    Quem quiser rípio corra !!!!

    ResponderExcluir
  4. Temos também a Carretera Austral, Rota menos explorada, porém de rara beleza , mais estreita e sinuosa que a 40 e também em processo de pavimentação.
    Quem quiser rípio corra !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado - eu me minha turma pretendemos passar por lá em out/2017.

      Excluir
  5. Boa tarde Rogerio!
    Parabéns pelo Blog, e especialmente pelos relatos, dicas e fotos. Meu caro para quem gosta de viagens sobre duas rodas toda boa informação será sempre bem vindas. Estamos sempre aprendendo com nossas experiências e com de outras pessoas, assim vamos crescendo ...
    Obrigado pela referência, como vc, apenas estamos compartilhando para outras pessoas sejam instigadas a acordar, levantar e partir para concretizar alguns sonhos.
    Em Santa Maria, RS, sempre a disposição.
    Fraterno motoabraço.

    ResponderExcluir
  6. Valeu Renato - obrigado pelo apoio moral, vivi muito do que esta aí no blog, e lógico, antes de ir para as estradas eu procuro ler um pouco daqui e dali. As orientações passadas em sua página são de extrema importância, repassei sua orientação sem omitir a fonte, e como você disse, estamos sempre aprendendo.
    Passando por Curitiba estaremos a disposição.
    Abraço

    ResponderExcluir