segunda-feira, 23 de maio de 2016

Motos usadas em guerras

          Nesta matéria trazemos alguns modelos de motocicletas utilizadas durante as grandes guerras mundiais, no final algumas fotos de registros históricos.


Kleines Kettenkraftrad HK 101

           A moto com lagartas é mais conhecida por Kettenkrad, abreviatura de Kleines Kettenkraftrad Typ HK 101, significando "pequena motocicleta com lagartas, modelo HK 101", em alemão. A sua designação militar oficial era Sonderkraftfahrzeug 2 (Sd.Kfz. 2), significando "veículo especial, modelo 2".

          A moto com lagartas começou a sua carreira como um trator ligeiro de artilharia para uso pelas tropas paraquedistas. Foi projetada para ser transportada por um avião Junkers Ju 52, apesar de não poder ser lançado por paraquedas. A Kettenkrad tinha pois a vantagem de ser o único trator suficientemente pequeno para caber no Ju 52.



          A direção da moto com lagartas era feita virando o guiador. Se o mesmo fosse pouco girado, a mudança de direção era realizada apenas pela roda frontal. Mas se o guiador fosse mais girado, provocaria o acionamento dos freios da lagarta do lado para onde era girado, o que provocaria uma mudança de direção de ângulo mais apertado.

          A Kettenkrad foi projetada e construída pela NSU, em Neckarsulm. Mais tarde, alguns exemplares foram também construídos pela Stoewer, sob licença, em Stettin, os quais constituíram cerca de 10% da produção total.

          A maioria das motos com lagartas serviu na Frente Ocidental, durante a Segunda Guerra Mundial, onde foram usadas para colocação de cabos de comunicações, para rebocar cargas pesadas e para transportar soldados através dos terrenos lamacentos da Rússia. Mais tarde, as motos com lagartas foram usadas como reboques de pista para aeronaves, incluindo aviões a jato como o Me 262. Como forma de pouparem combustível, as aeronaves eram rebocadas pela pista em vez de taxiarem com os motores ligados.

          As motos com lagartas foram também empregues na Campanha do Norte de África e na Europa.

          A Kettenkrad vinha com um atrelado especial (o Sd Anh.1) que permitia o aumento da sua capacidade de carga.

          Sendo um veículo com lagartas, a Kettenkrad poderia subir inclinações até 24º em areia e até superiores em solo firme, desde que o condutor tivesse coragem para isso.

          Apenas foram construídas duas subvariantes significativas do Kettenkrad, sendo a sua produção interrompida em 1944, altura em que tinham sido construídos 8345 exemplares. Depois do final da Segunda Guerra Mundial, a produção foi reativada, continuando até 1949. Alguns antigos exemplares militares e a totalidade dos exemplares construídos depois da guerra, destinaram-se ao uso civil, em tarefas agrícolas.conectado ao guidão. Um curto acaricia o pneu dianteiro corrigindo a direção e movimentos longos, a lagarta foi responsável por conter o lado desejado e, assim, mudar de direção abruptamente. Ketten, significa em alemão, corrente ou lagarta e krad é uma abreviatura militar para a palavra motocicleta.

          


Ural M-72 soviético moto sidecar militar

          A história da Ural começa em 1939, no período pré Segunda Guerra Mundial.

          Joseph Stalin ordenou aos militares que se preparassem para defender a Pátria Russa, tendo em vista os efeitos da Blitzkrieg [Guerra-Relâmpago] contra o Exército polonês, a mobilidade então, foi colocada como de extrema importância.

          As motocicletas utilizadas até então não funcionavam satisfatoriamente, apontando uma tecnologia ultrapassada e uma fabricação com qualidade que deixava muito a desejar.

          Uma reunião foi realizada no Ministério da Defesa da URSS e o tema de discussão abordou um modelo de motocicleta que seria o mais adequado para o Exército Vermelho.





Zundapp KS 750 

          Fabricada especialmente para o transporte de tropas, a Zundapp KS 750 foi construída entre os anos de 1940 e 1944 para o Alto Comando Alemão. E para não terem gastos excessivos com manutenção, principalmente se ela quebrasse no campo de batalha, suas peças tinham 70% de semelhança com as da BMW R75 – que também foi outra motocicleta muito utilizada na Segunda Guerra.

         Em quatro anos de fabricação, foram produzidas 18.695 unidades para o exército alemão. Suas principais características são: motor de 26 hp a 4.000 rpm, rodas traseiras e a do sidecar tracionadas, câmbio de 4 marchas, freios hidráulicos na roda traseira e no sidecar – primeira motocicleta equipada com esse recurso.

          A Kundapp KS 750 ganhou o apelido de “elefante verde” pois tinha o torque tão alto que conseguia transportar quatro pessoas e ainda rebocar certas cargas pesadas.




Harley-Davidson  “WLA”

          Durante a Segunda Guerra Mundial o exército americano usou motos Harley-Davidson que eram chamadas de “WLA”. O motor era confiável para aquele tipo de situação no front, porém inadequado para os dias de hoje. Possuía três marchas e embreagem no pé.

          A “WLA” teve uma réplica adaptada para os dias de hoje chamada de Warboy. Nela, uma Sportster 883 com quadro alterado e sistema elétrico de 12 V, lanternas, freios, câmbio, partida elétrica e motor V-Twin.

          Para quem não prestou atenção, a “WLA” foi utilizada no filme Capitão América – O Primeiro Vingador (2011), e a Harley-Davidson fabricou cinco motos especialmente para a película. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Harley despachou cerca de 90 mil motocicletas “WLA” para defender suas tropas contra a ofensiva nazista. Curiosidade à parte, a moticleta foi carinhosamente apelidada de “Libertadora”.



BMW R75


          A BMW R75 foi uma combinação de motocicleta e side-car equipado com uma metralhadora produzida pela empresa alemã BMW durante a Segunda Guerra Mundial. 

          Dado que as autoridades militares tinha adquirido uma grande quantidade de motos, estas converteram-se num importante cliente para a marca. As monocilindricas R4 e R35 foram utilizadas para instrução e serviço de entrega de mensagens, enquanto que as R11 e R12 equipadas com sidecar serviram para o transporte rápido de soldados ou abastecimentos urgentes. Na sua preparação para a guerra, os estrategas alemães sentiram a necessidade de repensar os conceitos dos sidecars tradicionais utilizados no teatro de operações. Desta forma o Comando supremo da Wehrmacht especificou as condições que as motos deveriam possuir, de entre as quais o sidecar com tracção na roda, uma velocidade de reserva e uma caixa de velocidades adaptada a todo-o-terreno
  



"Ketenkraftrad" ou Kettenkrad

          Era um veículo ligeiro militar de origem alemã, constituindo um híbrido entre uma motocicleta e um semi-lagartas. A moto com lagartas dispunha de uma roda e sistema de direção de motocicleta instalados à frente e de duas lagartas de tração e suporte instaladas atrás. Existiu um único modelo de moto com lagartas, projetado e construído pela NSU Motorenwerke AG.

          A moto com lagartas começou a sua carreira como um trator ligeiro de artilharia para uso pelas tropas paraquedistas. Foi projetada para ser transportada por um avião Junkers Ju 52, apesar de não poder ser lançado por paraquedas. AKettenkrad tinha pois a vantagem de ser o único trator suficientemente pequeno para caber no Ju 52.

         A direção da moto com lagartas era feita virando o guiador. Se o mesmo fosse pouco girado, a mudança de direção era realizada apenas pela roda frontal. Mas se o guiador fosse mais girado, provocaria o acionamento dos freios da lagarta do lado para onde era girado, o que provocaria uma mudança de direção de ângulo mais apertado.









Vespa 150 TAP

          Foi uma scooter modificada para o uso de tropas aerotransportadas (Troupes Aéro Portées, ou TAP). Introduzida em 1956 e atualizada em 1959, foi produzida pelo Ateliers de Construction de Motocycles et Automobiles (ACMA), a montadora licenciada das Vespas na França, na época. Modificações feitas na Vespa civil incluíam carenagem reforçada e um rifle sem recuo de 3 polegadas montado sobre ela.

          O rifle sem recuo M20 de 75mm montado na Vespa 150 TAP, um canhão anti-tanque americano, era muito leve se comparado com um canhão de 70 mm padrão mas ainda era capaz de penetrar 100mm de blindagem utilizando um projétil HEAT. O recuo era eliminado pela saída de gases na parte traseira da arma então não necessitava do mesmos sistema de recuo de armas pesadas.

          As scooters seriam despejadas em Paris, acompanhadas de uma guarnição de apenas 2 homens. A arma era carregada em uma Vespa enquanto a outra carregava as munições. A arma não foi desenhada para ser disparada de uma scooter devido à falta de quaisquer dispositivos de mira, então, a arma era montada em um tripé que também era transportado na motocicleta, antes de ser disparado.

          A "Vespa Bazooka" era relativamente barata: Vespas custavam altos US$ 500,00 na época, e os M20 eram abundantes. Quinhentas Vespas TAP foram produzidas na época.
 





















Ariel W / GN 350

          Durante a Segunda Guerra Mundial, a Ariel foi convertida em produção militar, incluindo a Ariel W/NG 350, uma moto militar baseada na Red Hunter, mas com um vão -livre do solo aumentado. Em 1944 a companhia foi vendida para a BSA e a modelo KH 500 foi produzida junto com a mais potente Huntmaster, que tinha um motor BSA A10 de 650cc modificado.





BSA M20

          A BSA M20 foi uma motocicleta britânica feita pela Birmingham Small Arms Company (BSA) em sua fábrica em Small Heath, Birmingham. Durante a Segunda Guerra Mundial foram produzidas 126.000 unidades. 

          A maioria das motocicletas BSA M20 foram utilizadas pelo Exército Britânico, pela Marinha Real e a Royal Air Force como uma motocicleta comumente usadA para escolta de comboio e usada em expedições.






WD Norton 16H Militar

          WD16H Norton era utilizada pelas forças britânicas e imperiais durante a Segunda Guerra Mundial. Foram produzidas 100.000 motocicletas durante o conflito.







Royal Enfield 350cc 1942

          A produção da Royal Enfield na Mundial II Guerra foi dedicada quase que exclusivamente ao exército aliado, foram 55.000 motocicletas de 350 cc fabricadas, para a Royal Navy foi encaminhada um modelo de 570 cc






DKW RT 125


          A DKW já havia começado a produzir motos quase 10 anos antes do inicio da Guerra em 1939. A empresa era especializada em motocicletas de porte menor, e sua principal contribuição para o exército alemão foi a RT125. Era uma moto ultraleve com motor a dois tempos e uma transmissão de três marchas. Esse veículo foi utilizado principalmente em missões de reconhecimento. O modelo foi o mais copiado após a guerra, com a Harley-Davidson, a britânica BSA e a Yamaha aplicando seu design às suas próprias motocicletas.




Moto Metralhadora utilizada na Primeira Grande Guerra pelo exercito russo.



FOTOS DIVERSAS




































Nenhum comentário:

Postar um comentário