terça-feira, 9 de junho de 2015

Estrada da Graciosa - Rota Original

          A Estrada da Graciosa, ou PR 410, é uma das mais belas estradas desse nosso país, é uma estrada pertencente ao governo do Paraná que utiliza a antiga rota dos tropeiros em direção ao litoral do Estado, interligando o município de Quatro Barras (Região Metropolitana de Curitiba) às cidades de Morretes e Antonina.

          A maioria dos turistas conhecem apenas o trecho que inicia no Portal junto a Rodovia Regis Bittencourt, no entanto, este seria o trecho trafegável e preparado para atender o turismo local. O trecho original da Estrada da Graciosa foi restaurado ha poucos anos pelo Município de Quatro Barras, deixando esse passeio muito mais atraente. O trecho conhecido pela maioria dos turistas mostra apenas nossa Mata Atlântica e seus recantos, já o trajeto original retrata a parte cultural e também mostra as belas naturais da região.

          A história da Estrada da Graciosa começa no início do século XVIII, as primeiras notícias sobre a pioneira Trilha da Graciosa que deu origem ao trajeto. As obras de construção da estrada foram concluídas em 1873, tendo sido iniciadas logo após a criação da Província do Paraná, por ordem do seu primeiro presidente, Zacarias de Góis Vasconcelos. Até a metade do século XX, a Estrada da Graciosa permaneceu como única estrada pavimentada do Estado, sendo importante rota de escoamento da produção agrícola (café, erva-mate e madeira) do Paraná rumo ao Porto de Paranaguá e ao Porto de Antonina.

          A cidade de Quatro Barras tem em seu território, o traçado original da Estrada da Graciosa, construída entre 1854 e 1873.

          A entrada oeste do município fica junto ao Rio Canguiri, que em tupi-guarani significa cabeceira fina ou pequena do rio. Um pouco adiante estão a Represa do Irai, responsável por boa parte do abastecimento de água na região metropolitana de Curitiba. A Colônia Maria José, marco da imigração italiana na cidade, e a Capela São José, que pode ser avistada da estrada.



          Logo na chegada à região central de Quatro Barras aparece  imponente a Igreja de São Sebastião, dedicada ao padroeiro do município. A igreja foi levantada em 1938, e a paróquia, criada em 1965.








          Após cruzar o centro da cidade, encontramos o Obelisco que marca a passagem de D. Pedro II pela estrada da Graciosa em 1880. O pinheiro que ali havia foi destruído por um raio no final do século XX, e o fato hoje é lembrado pelo referido obelisco.





          Seu acesso é realizado pela área central e pela BR-116 (contorno leste). Toda sua extensão encontra-se restaurada e pavimentada.

          Um detalhe importante: Por ser uma região com bastante incidência de neblina, o interessante é realizar este passeio em dia de bastante sol na região de Quatro Barras, caso contrário poderão perder pouco mais da metade de belas paisagens.







          Na sequencia relaciono alguns pontos de destaque da Estrada da Graciosa;

Igreja da Campininha - dedicada ao Senhor Bom Jesus

Oratório Anjo da Guarda, ampliado em 1957, foi elevado ainda durante a construção da estrada para proteger motoristas e trabalhadores dos perigos de uma curva na qual aconteciam muitos acidentes.

A Capela São Pedro completa a paisagem, estando situada em um local elevado, com belas montanhas ao fundo. Há mais de 20 anos na primeira semana do mês de julho é realizada a Festa de São Pedro com a tradicional costela na valeta e a cavalgada.

Capela São José, localizada na Colônia Maria José.

Na Estrada da Graciosa são encontradas pontes construídas entre o final do século
 XIX e meados do século XX.

Ponte sobre o Rio Taquari, onde começa a Área de 
Preservação Ambiental da Serra do Mar.
Rio do Meio

Rio Capivari 
e a Ponte dos Arcos




Trecho original

          As fotos abaixo mostram o caminho original atravessando 4 km  últimos da Estrada da Graciosa dentro do território de Quatro Barras, que reservam intenso contato com a natureza. Existe também a possibilidade de andar somente no asfalto, a dica aqui é para aqueles que curtem o off road.

Nesse trecho, a estrada é toda margeada pela Mata Atlântica, também pode ser visto obras de arte em pedra irregular realizadas por mãos escravas (calçamento e bueiro).

Um bom ponto de parada é o Rio do Corvo, onde o viajante encontra as ruínas da Casa de Pedra, residência construída pelos Garbens, alemães que se instalaram na Graciosa em sua fase áurea.


Ao seu lado, tem-se o acesso ao Caminho da Graciosa, trilha anterior à estrada.







          Passado este trecho de Quatro Barras, inicia-se o trecho conhecido pela maioria, no entanto, para tirar algumas fotografias no Portal Principal da Estrada, é necessário retornar uns 4 km até a Rodovia Regis Bittencourt.

          Ao longo da rodovia, são mantidos 7 recantos, contendo estruturas de lazer (churrasqueiras, sanitários, mirantes) que facilitam o acesso dos visitantes que querem conhecer as belezas da Serra do Mar paranaense:


Vista Lacerda
Rio Cascata


Grota Funda


Bela Vista

Mãe Catira






Rio São João da Graciosa

Fotos diversas

























9 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado Dinaldo !!
      Além da Estrada da Graciosa eu pretendo publicar algo em breve sobre Morretes (onde se pode comer um barreado) e também sobre Antonina - quem desce pela Graciosa tem essas duas cidades pela frente, são muito bacanas.

      Excluir
  2. Muito legal. Linda fotos e obrigado pela sugestão de roteiro...

    ResponderExcluir
  3. Este caminho fiquei conhecendo faz uns 6 meses, muito lindo mesmo, a maioria do povão pensa que é só pela br 116 que vai, muito showwww !!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vejo que o pessoal ali da região esta se animando com o potencial turístico do local - provavelmente logo terão alguns cafés coloniais na região, o que não seria ruim pra gente. rsrsrs Obrigado pela participação.!!

      Excluir
  4. Bacana! Legal poder divulgar as maravilhas deste país, tão afundado na lama política, administrativa e na corrupção. Obrigado por compartilhar. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Hélio - infelizmente não podemos deixar de acompanhar as notícias políticas, afinal, devemos estar cientes daquilo que vem ocorrendo em nosso país. Mas a gente também tem que dar uma aliviada, se não acaba ficando difícil de levar a vida, rsrs,Obrigado você por curtir a publicação.

      Excluir
  5. Sou de Piraquara , amo minha região , valeu !

    ResponderExcluir