Rotas para Macchu Pichu - Peru

   A pedido de alguns amigos estou elaborando uma rota para Macchu Pichu para uma viagem sobre duas rodas, aqui estou publicando um pequeno resumo de cinco opções de rota. A viagem é longa existem caminhos alternativos e cada qual com suas perspectivas, então isso
vai depender muito do estilo do viajante e de suas disponibilidades de tempo de dinheiro. Na sequencia eu coloco 5 opções: rota econômica, rota nacional, rota mista, rota turística e rota radical. escolha a sua.

1) Rota Econômica:

   A Rota Econômica sugere um caminho mais curto, utilizando a mesma estrada no retorno, são 3.582 km até a cidade de Cuzco. O detalhe dessa rota é que ela passa pela Bolívia - existem muitos mitos sobre segurança, abastecimento e corrupção policial sobre este roteiro.

   Bom, minhas considerações:
  • Segurança - Posso dizer que é semelhante ao Brasil, a possibilidade de ser assaltado existe, afinal é um país com uma população muito pobre e onde existe pobreza existe o risco disso acontecer, o negócio é não ficar se exibindo com seus pertences.
  • Abastecimento: Isso foi um problema para o nosso pessoal, em grande parte dos postos de
    gasolina por onde passamos tivemos que negociar o abastecimento. Em dois postos de gasolina, além de não abastecerem as motos, não deixaram a gente utilizar os banheiros, utilizando desculpas esfarrapadas do tipo: o gerente levou a chave embora. Nos demais postos de gasolina a negociação foi no preço, tivemos que pagar 3 vezes o valor da bomba - mas tudo bem, o valor do combustível na Bolívia é 3 vezes menor que o nosso.
  • Corrupção policial: fomos alertados até mesmo por cidadãos bolivianos para tomar cuidado com a policia local, que seriam corruptos, no entanto, não tive problemas com eles. Na verdade, nosso comportamento com policiais deve ser o mesmo seja em qual país estivermos. Se um policial der a ordem para parar no acostamento, ligue a seta indicando que irá estacionar, pare a moto, desligue-a, tire o capacete, óculos e cumprimente-o com educação e trate-o com cordialidade, faça isso funciona e terá reduzido seus possíveis problemas com policiais.

    Realizei essa viagem em outubro de 2014 passei um bom tempo dentro da Bolívia, o que tenho a dizer é que é um povo sofrido e que deve ser respeitado, estando em visita a Bolívia, evite tirar fotografias das mulheres com seus vestimentos, em alguns pontos turísticos elas cobram para isso.

   Nessa rota, a atração antes de chegar a Cuzco é o Lago Titicaca - na cidade de Puno você poderá fazer um passeio até a Ilha de Uros.

2) Rota Nacional

   Esta rota são para aqueles que querem evitar passar por muitos países. Sai do Brasil pelo Acre
entrando no Peru pela Carretera Interoceânica Sur, a distância total é de 9.275 km.

   O cuidado aqui esta na programação para passar pela Cordilheira dos Andes, o indicado é pernoitar em Puerto Maldonado no Peru e depois seguir direto para Cuzco, são apenas 463 km de distância entre as duas cidades, porém a beleza da Carretera Interoceânica Sur  nos convida a
tirar algumas fotografias e isso pode diminuir consideravelmente a velocidade média da viagem. A rota possui curvas muito fechadas no trecho da Cordilheira dos Andes, algumas curvas são realizadas a 20 km/h. Outra situação a ser levada em consideração é a altitude de 4.800 m, estejam preparados para enfrentar o frio e cuidado para não demorar muito na travessia,embora existam roupas especiais para motociclistas, sempre é bom evitar o frio, nossos ossos e nossas juntas agradecem.


3) Rota Mista

   Um rota de 8.166  km de distância - porque dessa rota?  É uma mistura entre a economica e a nacional, ela oferece aos motociclistas da região sul a possibilidade de rodar por alguns estados do norte e centro-oeste brasileiro. Bom, o cuidado especial é no trecho entre Porto Velho e Cuiabá, o movimento de caminhões nas rodovias é intenso e o piso não é de boa qualidade em muitos trechos. Uma das vantagens que essa rota refere-se ao desgaste da motocicleta, é comum em viagens de loga distância o equipamento apresentar problemas, então é interessante estar em nosso país onde existe a facilidade da comunicação.

4) Rota Turística

   Esta rota é uma sugestão minha, para aqueles que possuem um certo tempo a mais para poder viajar. afinal, a diferença entre as quilometragens das rotas relacionadas são pequenas levando em consideração a distância total até Macchu Pichu. Sugiro passar pela Argentina indo por Salta, nessa região você terá a opção de passear pelo Trem de las nuvens, onde possui a ponte mais alta do mundo, poderá também degustar uma cerveja Salta. Seguindo para o Chile você passará por
Purmamarca, onde tem o Morro de las Sete Colores, também verá as Grandes Salinas, a cidade de Susque, toda construída em adobe.
   Já no Chile, a cidade de San Pedro de Atacama é uma das atrações a parte, vale a pena programar para ficar alguns dias aqui, aqui você tem o Vale de La Luna, o Salar do Atacama, Geiseres, o Vulcão Lincancabur - algumas dessas rotas são realizadas com o aluguel de uma van, nos hotéis vocês encontram propagandas de empresas que realizam esses passeios. A noite em San Pedro de Atacama é outro atrativo a parte, muitos bares e restaurantes com gente do mundo inteiro.
   Nessa rota vai direto ao Peru, passando pela Bolívia apenas no retorno, onde poderão passar também pelo Lago Titicaca e a Ilha de Uros.

5)  Rota Radical

   Se assim pode ser chamada, na realidade é uma rota turística incluindo misturada com economica, incluindo no roteiro uma passagem pelo Salar de Uyuni, mas atenção, essa rota é indicada para motos do estilo Big Trail, pois esta incluindo a passagem pelo rípio entre as cidades de Calama no Chile até
Uyuni na Bolívia, são 400 km ligando as duas cidades. Recomenda-se fazer o percurso de aproximadamente 200 km até a divisa entre o Chile e a Bolívia, existe um povoado chamado Ollague, não possui hotéis na região, apenas 2 hospedarias para caminhoneiros, onde os quartos são compartilhados iguais nos hostels. Muitos sites de viagem dizem que não existe postos de abastecimento neste percurso, existe sim, só que não é na estrada, menos de 1 km num povoado chamado San Cristobal.
   O Salar de Uyuni é o maior do mundo, os hotéis no local são construídos com pedras de sal, nesse local foi realizado a conhecida corrida chamada Dakar.
   De Uyuni a Oruro existem duas opções, seguir pelo rípio ou então ir pelo asfalto até Potosi. Como eu já tinha satisfeito a minha curiosidade de andar pelo rípio, eu optei em passar por Potosi, uma escolha acertada, a estrada é simplesmente fantástica.
   Uma dica: nesse roteiro, pode se incluir a Estrada da Morte, estando em La Paz siga para Coroico.


Cuzco à Macchu Pichu

   Para chegar a Macchu Pichu não existe acesso por estradas - é necessário comprar passagem de trem, uma viagem fantástica até Aguas Calientes, povoado que fica próximo a Macchu Pichu - onde então poderão seguir pela trilha até a montanha ou então comprar uma passagem de micro ônibus.

Entrada para Macchu Picchu: Onde comprar?
Você tem a opção de comprar no Ministério do Turismo em Cuzco ou através do site abaixo, mas é bom não deixar para ultima hora, o Ministério do Turismo disponibiliza no site apenas 2.000 ingressos diários.

http://www.machupicchu.gob.pe/


Passagem de trem: Onde comprar?

Você tem a opção de comprar a passagem na empresa Perurail em Cuzco ou no site abaixo

http://www.perurail.com/






Nenhum comentário:

Postar um comentário