Castro - Pr

Castro - Paraná

          Localizada às margens da PR 151, Castro é uma boa opção de passeio para nossos amigos motociclistas. Distante de Curitiba a 156 km, possui diversos pontos turísticos, como:


















Estação Ferroviária

         Inaugurada em dezembro de 1899, conta com uma estrutura arquitetônica simples, composta de uma construção em alvenaria de tijolos sobre embasamento de pedras. Destacam-se os pilares estruturais arrematados na parte superior por frisos em relevo e os ladrilhos hidráulicos que revestem parte do piso interno. Imóvel tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual em 1997.


Teatro Bento Mossuranga


         O teatro foi inaugurado em 2003, em homenagem ao músico castrense que compôs entre muitas obras, o Hino do Paraná. O espaço abrigava no passado o “Cine Marajá” que foi construído em 1949, sendo o centro das atenções da comunidade castrense. O prédio foi reformado para que fosse possível receber produções de dança, teatro, musicais e palestras em geral.






Museu do Tropeiro


          Inaugurado em 1977, no casario mais antigo da cidade,o Museu foi criado com o objetivo de resgatar e preservar a memória do tropeirismo,ciclo ecônomico dos séculos XVIII e XIX. É Considerado o mais importante do gênero no país,contando com um acervo de mais de mil peças, documentos e objetos históricos que retratam a vida do tropeiro. Praça Sant´Ana do Iapó, n° 51 em frente a Igreja Matriz






Morro do Cristo


          Situa-se em um dos pontos mais altos do perímetro urbano de Castro, proporcionando uma bela vista da região. Pode ser avistado de todos os lados da cidade e arredores.Sobre o morro está uma estátua do Cristo Redentor e um pequeno parque de diversões.

Memorial dos Imigrantes

 
“De Immigrant”(O imigrante) foi construído em 2001 pelo engenheiro holandês Jan Heijdra em comemoração de 50 anos da chegada dos imigrantes holandeses ao Município de Castro. Considerado o maior moinho da América Latina, a construção mostra uma identidade cultural. 

Casa da Sinhara


          Esta exposição do Museu do Tropeiro foi inaugurada em 2004 para reproduzir o interior de uma residência castrense no século XIX. O ambiente com móveis, objetos e utensílios domésticos retrata cotidiano feminino na época do tropeirismo. Praça Sant´Ana do Iapó, nº 10 ( Espaço Cultural Casa da Praça) Visitação: Segunda à Sexta , das 8h00 às 17h00 (em intervalo para o almoço)



Igreja Matriz Senhora Sant'Ana


          Sua construção foi inicidada pelos escravos no início do século XVIII e concluída em 1876, sendo a segunda torre contruída em 1961. Em seu interior encontram-se esculturas de madeira feitas pelo frei Mathias de Gênova, lustres de cristais que foram doados por D.PedroII e um sino de bronze rachado após ter sido tocado na comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial.  







Museu do Imigrante Alemão

          Conhecido como Casa do Colono - Das Kolonistenhaus, foi inaugurado em 18 de abril de 1999. Seu pequeno acervo é composto por peças e objetos doados por imigrantes alemães (utensílios domésticos e agrícolas). Administrado pela Associação Cultural de Preservação da História e Ecologia de Terra Nova, cujo objetivo é a preservação da cultura alemã.

          Colônia Terra Nova (localizado em propriedade doada pela Sra. Mônica Maus - 15 km da sede de Castro)

          Visitação: Todo terceiro Domingo do mês, das 13h00 às 17h00 (visitas em outros dias e horários podem ser agendados pelo fone (42) 9981-2789 com Gudula


Porque Castro?

          Por volta de 1785, o capitão Manuel Gonçalves Guimarães, homem de negócios, preso por sonegação de impostos, foi cumprir pena na prisão do Limoeiro, em Lisboa. Em certa ocasião foi visitado pelo ministro de Negócios Ultramarinos Martinho de Mello e Castro, a quem propôs que, se fosse libertado, voltaria ao Brasil e daria o seu nome a uma freguesia, trabalhando para elevá-la a vila. Assim se deu e o capitão , voltando ao Brasil, convenceu, por intermédio de um ouvidor, o general Bernardo José Lorena a ordenar a freguesia de Sant'Ana do Iopá à vila, com o nome de Vila Nova de Castro, em 20 de Janeiro de 1789. Etimologicamente Castro origina-se do latim "Castru", que significa fortaleza.


A Primeira Cidade Verdadeiramente Paranaense.

          Um fato histórico que não se pode negar, é que Castro, elevada à cidade em 21 de janeiro de 1857, foi a primeira cidade instituída no Paraná, sendo conhecida como 'Cidade Mãe', porque foi a primeira cidade fundada no estado quando o Paraná emancipou-se de São Paulo, em 19 de dezembro de 1853. Nessa época, Castro figurava em segundo lugar em contingente populacional, assim distribuído: Paranaguá - 6.533 habitantes; Castro - 5.899 habitantes; Curitiba - 5.819 habitantes; Vila do Príncipe, atual Lapa - 5.406 habitantes. Curitiba e Paranaguá, antes de 1853, já eram cidades, quando a terra e as decisões pertenciam aos paulistas.

Castro: Capital do Estado

          Castro também já foi capital do Paraná. Isso aconteceu em 18 de janeiro de 1894 durante a Revolução Federalista (1893-1895). Assim, o governador da Província, doutor Vicente Machado instaurou o Decreto numero 24 de 18 de janeiro, que tornava Castro a capital do Paraná, sendo revogado em 19 de abril do mesmo ano. Dessa forma, Castro foi a capital do Paraná durante três meses e 11 dias. Esta foi a primeira e única vez que a capital saiu de Curitiba.







Nenhum comentário:

Postar um comentário