Cananéia - Litoral Paulista

          Vamos falar de um pequeno paraíso no litoral paulista, Cananéia, a cidade está no centro de um corredor biológico de 110 km que se estende desde a foz do Rio Ribeira em Iguape (SP) até a baia de Paranaguá (PR), é um dos maiores berçários de vida marinha do planeta. É conhecida por ser ponto de partida para as preservadas ilhas do litoral Sul de São Paulo, como a do Cardoso, a do Bom Abrigo e a Comprida, acessíveis por barcos e escunas.

          A "formosura" da cidadezinha e da região é tamanha, que a mesma foi tombada pela UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade e a revista americana “Condé Nast Traveler” considerou como o melhor roteiro ecológico do mundo, a região lagunar-estuarina de Cananéia, conhecida como Lagamar, é uma fantástica coleção das águas de muitos rios, baias e lagoas com o mar e compreende, num só lugar, 4 ecossistemas: mangues, dunas, restingas e a Mata Atlântica. Aí se encontram inúmeros sítios arqueológicos, os sambaquis, datados entre seis e quatro mil anos, e ruínas do período colonial. 


        A região é considerada um santuário ambiental repleto de espécies da fauna e da flora, com lagunas à beira-mar, vegetação de restingas e Mata Atlântica, além de mangues que são verdadeiros viveiros de peixes. 

        Cananéia é uma das vilas mais antigas do Brasil, seu centro histórico é formado por construções que datam do século XVII. A Rua do Fogo é uma das que mais se destacam, foi batizada assim porque foi iluminada por lampiões durante muito tempo .


          Ainda no cenário colonial está a Igreja de São João Batista, erguida pelos jesuítas em 1577 e restaurada em 1769. Suas paredes, a torre com os sinos, as portas e janelas pintadas em verde colonial, as pias de Água Benta e as seteiras, que serviam, tanto para ventilação e entrada da luz, quanto para a defesa da população, tudo isso tem sua origem há mais de 300 anos atrás.


          A cidade conquista os visitantes também pelo estômago. A extração de ostras é intensa e os visitantes podem comprá-las, fresquinhas, diretamente dos coletores. Os preços são afrodisíacos!

          Um dos pontos altos de nosso passeio foi o passeio até a Ilha Comprida, deixamos as motocicletas em Cananeia e realizamos a travessia de balsa, já do outro lado pegamos um ônibus que nos levaria para o outro lado da Ilha Comprida, onde estão as praias e o mar aberto.


          Quando estávamos para retornar para Cananeia o motorista nos comentou que iria levar o pessoal para a balsa e em seu retorno iria fazer outra rota, seguindo para o lado norte da Ilha, sentindo Boqueirão Norte, fazendo o trajeto pela areia, à beira mar. não tivemos dúvida, o passeio nos custou R$ 2,50 e foi muito divertido.


          O por do sol sempre é uma garantia de um belo espetáculo da natureza, até mesmo nos grandes centros, em nosso retorno, ainda na balsa, apreciamos um belo por sol.


        
          O que você não pode perder? É o passeio de barco em direção às ilhas dos arredores. Com sorte, você poderá ter a companhia de cardumes de golfinhos que costumam acompanhar os tours que levam às piscinas naturais da Ilha Comprida ou aos cenários intocados da Ilha do Cardoso, que abriga um parque estadual emoldurado por mata Atlântica, poços, trilhas e praias. A infraestrutura da ilha é bem precária mas há restaurantes rústicos que servem comida simples e te conquistam.


A historia da cidade

          Cidade histórica e polêmica desde os seus primórdios. Por ela passava a linha imaginária do tratado de Tordesilhas, que dividia o mundo entre Portugal e Espanha, as duas maiores potências do mundo na época. 

....Disputada entre os dois reinos e pela cobiça de aventureiros e piratas, devido as suas riquezas.
....Para reivindicá-la à coroa portuguesa, chega aqui em 24 de janeiro de 1502, a expedição comandada por Gaspar de Lemos e o cartógrafo Américo Vespúcio que dando o topônimo a baías, cabos e enseadas deu o nome de Barra do Rio Cananor. 

....Trazia com eles um "misterioso bacharel", cristão novo degredado por El Rei de Portugal, como consta no livro dos Degredos no Museu do Tombo em Lisboa - a 25 graus de Ladeza da costa sul do grande mar Oceano, o que coincidia com a ilha do meio ( Ilha do Cardoso) onde fixaram o marco do tratado de Tordesilhas (Itacuruçá) em frente à Ilha do Bom Abrigo (Expulsão datada em 1497 bem antes, portanto, do Descobrimento do Brasil ). 

....Aqui o Bacharel fez fortuna e História . Conta-se que negociava lotes de 800 escravos, e dava guarida e aguada a quem lhe pagasse e lhe prestasse obediência, financiando expedições à bacia do prata e ao interior da futura capitania em busca de ouro, prata e a captura de índios, para comercializar como escravos.
....Uma laje no museu dos descobrimentos na torre do tombo em Portugal com a inscrição: "Porto Seguro 1500 - Cananéia 1502 - Bacia do Prata 1514." 

....Segue a polêmica: "Seria Cananéia o Povoado mais antigo do Brasil? 

..
Consta no Diário de Navegação da Armada de Pêro Lopes, irmão de Martim Afonso, que na chegada da expedição colonizadora de Martim Afonso de Souza, em 1531, encontrou o misterioso Bacharel, 6 europeus vivendo em família, duzentos mestiços e mais de mil e quinhentos índios vivendo na comunidade de Maratayama como era chamada a antiga Cananéia.

Fonte:
http://www.guiadecananeia.com.br/historia.htm

Abaixo algumas fotos de nosso passeio até a Ilha do Cardoso.

         

















Nenhum comentário:

Postar um comentário