terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Pneu no arame - precauções

          Há alguns anos atrás passei por uma situação de risco, isso aconteceu durante uma viagem de 7.500 km entre Brasil, Argentina e Chile. Foram meses se preparando para essa aventura, analisando cada item, tomei o cuidado de me preocupar com os mínimos detalhes, de certa forma, acabei exagerando em muitas coisas.

          Falhei numa situação, os pneus da moto estavam "meia vida", consultei algumas pessoas, entre elas lojistas, mecânicos e mechânicos, a opinião era unânime, o pneu aguenta traseiro aguenta, mas o dianteiro não.

          Bom, viajar para longas distâncias virou uma febre, mas há algum tempo isso não era tão comum, era difícil encontrar pessoas (inclusive redes sociais) que dessem orientações a cerca de todos os detalhes.

         Para ajudar, era raro encontrar à venda as medidas dos pneus da Midnight 950, os lojistas tinham que encomendar e demorava-se em media 20 dias para chegar, muitos acabavam utilizando uma medida diferente, o utilizado na Dragstar . 

          Levei comigo apenas um reserva do pneu dianteiro, não substitui o pneu traseiro. O detalhe que eu e muitos esqueceram de lembrar, é que parte da viagem seria na região do deserto do Atacama e parte do norte argentino, regiões de muito calor. Esse fator foi determinante para zerar o pneu traseiro, responsável pela carga maior de peso.

          O fato é que, ainda em solo argentino o pneu traseiro já estava no arame, estava na cidade de Posadas e sai logo cedo com destino a Curitiba, aproximadamente 930 Kms. Já em solo brasileiro parei em algumas cidades, mas nada de encontrar o pneu. 

          A noite chegou e ainda estava em Guarapuava, decidi tocar até Curitiba, tinha uns 250 km a vencer, viajei no período da noite andando entre 70 e 80 km por hora, cheguei em casa por volta das 22 horas. O susto foi grande, a partir daquela viagem passei a trocar pneus e relação da moto em viagens longas, as peças substituídas ficam guardadas e são utilizadas no retorno da viagem. 

          Fica aí o conselho, para viagens longas, substitua as peças "meia vida" de sua moto, pneus, correntes, pastilhas de freio, etc. Guarde as peças antigas para utiliza-las em seu retorno de viagem.

AT. O pneu dianteiro que levei acabou fazendo parte da paisagem, não houve a necessidade de troca.



          

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Roupas Segunda Pele

          Falar em segunda pele no Brasil pode soar estranho, mas andar de motocicleta nos estados do sul e sudeste tem tudo a ver.

          A malha térmica, também conhecida como segunda pele, é um acessório indispensável e quase obrigatório para motociclistas que realizam viagens para os lados lá da Cordilheira, ou para aqueles dias de frio intenso e rigoroso no sul do país. 

          A malha térmica (blusa, calça ou luva) mantém a temperatura do corpo estável e oferece conforto para quem usa. Sem falar que ela ainda evita o incômodo de ter que vestir muitas camadas de roupas para se aquecer.

          Essa malha é produzida em tecido especial de alta performance, que além de otimizar a produção do calor permite conduzir o vapor do suor do corpo para a parte externa do tecido. Como consequência, mantém a pele seca e aquecida.

         Um ponto positivo e que precisa sempre ser levado em consideração é a praticidade que esse tipo de peça te traz. Ela pode ser utilizada tanto no ambiente urbano, no dia a dia rotineiro, quanto em atividades ao ar livre na neve durante uma viagem, por exemplo.

          A segunda pele garante proteção e conforto térmico para aquelas pessoas que têm sensibilidade a baixas temperaturas em qualquer que seja a ocasião.
          Bora lá adquirir esse item para sua próxima viagem.







sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Taxi em Santiago - Uma experiência negativa

Foto ilustrativa
          Esta é uma matéria a qual não gostaria de escrever, para mim, Santiago é tudo de bom, um povo muito educado e atencioso, a capital chilena é linda e muito limpa, você anda pelo centro da cidade e os guias turísticos te abordam de forma muito educada, no entanto, fomos surpreendidos.

          Depois de retornar de nossa última viagem guardei um segredo para mim, estava me sentindo um idiota, me lembrei daquele filme "Uma família americana na Europa", onde o pai da família americana se passava por um idiota, foi assim que me senti depois que sai de um táxi.

          A principio achei que tivesse sido um caso isolado, afinal, já havia andando de táxi outras vezes na cidade, é mais pratico e sai mais barato. Por conta disso, deixei passar o pequeno golpe que levei. 

          Porém, isso vinha martelando em minha cabeça, então resolvi encaminhar uma reclamação sobre o assunto para o Ministério de Turismo do Chile, para minha surpresa, no site do Tripadvisor li relatos de diversas pessoas passaram pela mesma situação.

          No meu caso, caí no golpe do taxímetro alterado por controle remoto, percebi que o valor havia subido um pouco rápido e perguntei o motivo, o mesmo me alegou que seria por conta da bandeira dois, como já havia passado das 20 horas deixei quieto, mas de repente o taxímetro deu um pulo mais alto no valor e então percebi que havia algo errado, o que era para ser uns R$ 15,00 saiu por quase R$ 70,00 - Não quis comprar briga, afinal, se um caso desse vai parar numa delegacia a gente acaba levando a pior, ou até mesmo por medo de uma represaria, enfim.

Sky Costanera - Foto by Rogério Boschini
          Depois do fato ocorrido, comecei a analisar melhor a situação, a impressão que tive é que eles agem em grupo. Havíamos acabado de sair do Sky Costanera, um prédio turístico de Santiago, então fomos até a fila de táxi para pegar o primeiro da fila e nos mandaram pegar outro que havia estacionado recentemente, era um sedan da Hiunday, o taxista era jovem, no molho de chave havia um chaveiro da Argentina, até perguntei se ele era argentino e o mesmo me disse que o proprietário do carro.era. Na verdade o golpe já começou em frente ao Sky Costanera.

          Enfim, resolvi realizar essa matéria para orientar nossos amigos viajantes para que tenham cuidado em relação a táxi em Santiago, isso acabou servindo de aprendizagem, infelizmente.

          Conheçam abaixo os tipos de golpes aplicados:


1. A famosa volta a mais, você pede para ir de A para B, ele passa em C, D, E antes. 
2. O golpe das notas falsas.
3. A última novidade eles alteram o taxímetro por controle remoto e a corrida chega a custar 5 vezes mais.
4. Troca de notas, essa acontece no período da noite, você paga com uma nota de $ 10.000 pesos e rapidamente eles mostram que você entregou uma de $ 1.000,00 pesos Cuidado. Na dúvida vá de metro. Se não for possível pense na possibilidade de locar um carro.


          Vejam alguns depoimentos do Tripadvisor





"Mais atual que nunca! Cuidado, os taxistas em Santiago são BANDIDOS! Ladrões! Peguem o metrô!"


"Cuidados, os taxis estao trocando notas de 10 mil pesos por notas de mil pesos, forcando o turista a pagar de novo. Cuidado!!"


"Também cai nesse golpe. Paguei 10.000 e ele troca muito rápido falando que pagamos apenas 1000. Temos que denunciar para que tomem providências."


"Infelizmente é uma pratica antiga, muitos turistas já foram lesados, por isso a importância do Fórun, para partilharmos das nossas experiências, e evitarmos muitos transtornos."

"Andar de taxi em Santiago sofre-se um altíssimo risco golpes. Taxistas extremamente desonestos e grosseiros. Fomos roubados tendo de pagar $30000 (trinta mil!!!) do Costanera Center ao Pátio Bella Vista. Quando questionamos o valor da corrida, fomos intimidados pelo taxista. Como estamos numa situação de extrema vulnerabilidade em pais estranho, o que fazer? Pagar e ficar no prejuízo... Enfim, muita atenção e espero que outros não passem por esse infortúnio. Brasileiros são presas fáceis para os taxistas chilenos."

Se alguém quiser ler mais relatos, acesse o link abaixo: 

https://www.tripadvisor.com.br/ShowTopic-g294305-i2020-k6784789-Golpe_taxis_santiago_Cuidado-Santiago_Santiago_Metropolitan_Region.html


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Revisitando destinos

          O Prazer em revisitar um destino, conheço um motociclista que faz o mesmo destino há muito tempo, ele adora pegar a Rodovia do Café rumo à Colonia Witmarsun, faz isso praticamente todos os domingos, ao chegar lá esta sempre envolta ou por vezes cercado de amigos motociclistas, é sua paixão, tomar um café com amigos e contar seus relatos.

          Bom, isso é um roteiro local, mas, e nas viagens lonas? Geralmente quando menciono que estou a caminho de San Pedro de Atacama - Chile vem as  perguntas: "de novo? o que você perdeu por lá? porque não vai para outras bandas?"

          Bom, um dos motivos para revisitar San Pedro de Atacama foi o fato de não ter conseguido visitar alguns pontos turísticos, os Gêiseres del Tatio por exemplo, na primeira viagem faltava experiência, viajei sozinho, na segunda a cidade serviu apenas de pernoite, na terceira levamos um calote do agente de turismo e enfim os gêiseres na quarta visita. Bom, de tanto passar por lá aprendemos o caminho e então passamos a formar grupos para viagens de moto até Atacama e Antofagasta.
Puente del Inca 2013 e 2017

          Outro motivo pelo qual faço o mesmo trecho é tem seus motivos, minhas viagens longas ocorrem nas férias, então tento aproveitar o máximo, o detalhe é que as minhas férias nunca são de trinta dias, minha atividade não permite ficar mais de duas semanas fora. Costumamos dizer a nós mesmo para aproveitarmos ao máximo, porém, muitas vezes o tempo é curto.

          Também é comum ouvirmos as pessoas falando para curtir bastante, afinal, talvez nunca mais volte naquele local, não é mesmo? Mas, e se você voltar? Será que tudo vai ser igual ou algo vai mudar?

          Nunca é a mesma coisa, até mesmo a estrada que nos leva ao destino nos trás emoções diferentes,  as memórias daquele determinado lugar servirão para que você enxergue de outra forma, mais critica, a partir da  revisita poderá olhar com mais detalhes, ou até mesmo ir atras de mais atrações turísticas naquele local.

La Mano 2013 e 2017

          Quanto tempo seria necessário para conhecer em detalhes uma cidade como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre? Conhecer bem seus pontos turísticos, sua gastronomia, teatros, comércio e seus artesanatos. Não importa quantos dias passou lá, com certeza você ainda não conheceu aquele destino de ponta a ponta.

          Voltar ao destino que você mais curtiu conhecer, pode ser a chance de colecionar novas e eternas emoções, percebe a importância da revisita?
        
          Santiago é uma cidade a ser revisitada, já passamos por lá em 2013 e 2017, na primeira viagem a cidade serviu apenas de pernoite, já na segunda viagem foi turismo mesmo e ficou com gostinho de quero mais.

          Outro motivo para revisitar uma cidade seria o fato de não ter gostado do local em sua primeira visita. Muitos elogiam Buenos Aires por exemplo, mas nós não tivemos uma experiencia positiva por lá, nem por isso deixaremos de revisitar. Devemos considerar as circunstâncias que nos cercavam, o fato de ter sido mal atendido por esse ou aquele hotel não significa que toda a cidade seja assim.

          Então, programe a sua viagem e curta tudo de novo. Mas não se esqueça de aproveitar para conhecer lugares novos e fazer atividades que nunca fez por lá antes. Permita-se e novas emoções e lembranças você vai conseguir acumular!