segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O motociclismo sobrevive !!

          Andando pelas estradas Brasil afora, bem como viagens ao exterior, levo comigo um pequeno gesto que demonstra respeito nas estradas. Não importa o estilo da moto, se o motociclista é "coletado" ou não, acenar e cumprimentar um irmão nas estradas é um ato de respeito e que gera uma emoção muito boa.

          Nos Estados Unidos isso é praticado pela grande maioria dos motociclistas que percorrem as estradas estadunidenses.

          Infelizmente no Brasil esta aumentando o número de donos de motos que se acham motociclistas, investem caros em motos e equipamentos e esquecem do principal, a IRMANDADE.  Parece um simples gesto, mas me entristece quando estendo minha mão para um irmão de estrada e esse não corresponde, esta certo que em muitas situações a segurança fala mais alto, mas numa reta isso é quase que obrigação, é uma demonstração de respeito.

          Motociclismo não esta relacionado com poder econômico, certa vez tive pane zero na estrada, confiei que o Trovão Azul (Vstrom 1000) chegaria até o próximo posto, mas de tão boa a gasolina, o Trovão resolveu beber mais rápido. Lá fui eu, empurrando o Trovão por alguns quilômetros, contei seis motos de alta cilindrada passando por mim sem prestar nenhuma ajuda. Fui surpreendido por três motos de 125 cc, as duas primeiras queriam fazer o reboque usando a técnica de empurrar com o pé, não dava né? O terceiro foi até o posto e voltou com o tanque dele cheio, então retirou gasolina suficiente para que eu chegasse ao posto.

         Voltando ao cumprimento, num passeio recente fiquei feliz em encontrar diversos motociclistas passando no sentido contrário, a grande maioria cumprimentou.

A história do cumprimento:

          Um Piloto chamado Barry Sheene (1950-2003), no inicio da década de 70, começo de sua carreira, sempre que vencia uma prova saudava a todos com o sinal de "v" (vitória) nos dedos. Esse gesto foi adaptado por todos os motards dessa época como uma saudação muito especial entre pessoas que partilhavam os mesmos valores e espírito na estrada. Tudo bem que essa emoção era um tanto quanto rara, afinal eram poucas motos circulando pelas estradas, por isso a festa quando dois motociclistas se encontravam em sentido oposto.

Além do "V", existem outros tipos de cumprimentos:
  • Acenar a cabeça;
  • Dar sinais de luzes, pode ser alternando entre médios e máximos, como pode ser, desligando as luzes e voltando a ligar (embora possa ser usado para indicar perigo à frente);
  • Ao passar para a frente do motociclista esticar a perna direita (embora seja usado também para indicar um perigo na estrada), uma vez que utilizando a mão iria ser necessário tirar a mão do acelerador;
  • Levantar a mão numa posição aberta ou fechada.
         É isso aí irmãos motociclistas, bora lá pegar estrada e exagerar nos cumprimentos.










18 comentários:

  1. Sensacional e emocionante! Comprei minha moto faz 1 ano e sempre faço questão de manter o cumprimento vivo. Forte abraço e vida longa!

    ResponderExcluir
  2. Acabei de adquirir minha Ténéré 250. Não sabia disso. Valeu muito. A partir de agora. Cumprimentos sempre. ABS.

    ResponderExcluir
  3. Ando de moto já tem um tempinho, prezo e gosto de cumprimentar aos motociclistas que encontro pelo caminho...

    ResponderExcluir
  4. Fotos da estrada do Encontro do 100 Limites??
    Sempre q viajo seja sozinho ou com o MC sempre faço questão de cumprimentar e se necessário sempre ajudar um irmão. Assim como já ajudei, ja ajudaram nosso pessoal na estrada. Irmandade é isso. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é foi 100 limite
      Não fomos nesse evento mas encontramos o pessoal voltando - todas cheios de barro devido a chuva, mas coma alma lavada rsrsrs

      Excluir
  5. Rogério, parabéns pelo seu blog, muito criativo e trás boas informações aos motociclistas. Sou de SP, agora morando em Taubaté, 74 anos, já bem viajado de moto, atualmente tenho 2 Honda Varadero com as quais faço meus passeios...kkk Passando pela Dutra faça contato, venha tomar um suco ou um café com a gente e prosear sobre viagens, grande abraço, Gugu otavio@globalplayer.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Gugu, obrigado, voce deve estar cheio de historias para contar e o barato do motociclismo é a gente poder compartilhar nossas historias.

      Excluir
  6. Quem belo texto e que saudade da estrada... Mas aqui na Bahia encontro muitos viajantes passando em nosso alfalto, mas ninguém retornou meus cumprimentos: farol,busina! Vou tentar o braço, apesar das curvas. Confio na irmandade!!

    ResponderExcluir
  7. Excelente! Mas qdo estou com a minha super potente Fazer 250, cruzo ou sou ultrapassado pelos motociclista de alta potência, nunca observei a troca de cumprimentos. Pelo contrário, alguns motociclistas ou "motoqueiros" ultrapassam bem próximo, tirando fina, como a humilhar os de pequena cilindrada. Mas nem tudo está perdido; os motociclistas e maior idade e cilindrada, em especial aos das "custom" dão show, verdadeiros templários estradeiros. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  8. Comecei a viajar de moto a 3 anos, no começo não sabia o que o sinal com a mão estendida pra baixo significava, mas quando via alguém fazendo um sinal acenava com a cabeça para não deixar passar em branco, hoje em dia quando cumprimento alguém com a mão e não sou cumprimentado de volta realmente fico muito decepcionado

    ResponderExcluir
  9. Belo texto, espero um dia lhe retribuir esse gesto pelas estradas a fora.

    ResponderExcluir
  10. Meu amigo boas dicas esse seu blog é necessário para todos os motociclista, grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Fernando, o grande barato do motociclismo é a gente poder compartilhar nossas histórias e coisas que a gente vai aprendendo aqui e ali. sem querer ser o dono da verdade rsrsrsr

      Excluir