quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Curiosidades do mundo motociclísticos


          Algumas curiosidades do mundo motociclistico:

1. O Mundial de Motociclismo existe desde 1949. São três categorias - 125, 250, 500 e 990 cm3 - e cada prova dura 45 minutos. Mas os europeus já organizavam corridas de desde 1907. 

2. A velocidade máxima já alcançada por um piloto de moto até hoje foi de 321 km/h. Quem bateu o recorde foi Dani Pedrosa, a bordo de uma Repsol Honda RC212V 800cc.

3. Em 1973, Adu Celso (Eduardo Celso Santos) foi o primeiro brasileiro a vencer um GP válido pelo Campeonato Mundial. Ele ganhou a prova da Espanha. Adu tinha vontade de correr de carro. Chegou a fazer um primeiro contato com a March para disputar o Campeonato Europeu de Fórmula 2, mas seus negócios impediram a realização do sonho.

4. Dez anos depois, Alexandre Barros conseguiu sua primeira vitória na principal categoria do motociclismo, a 500 cm3, também no GP da Espanha.

5. O autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro (RJ), sediou uma etapa do Mundial de Motociclismo em 1995. A reforma custou 18 milhões de dólares. Os 5078 metros de pista foram banhados com 22 mil toneladas de asfalto com polímero aderente, e cercados por uma barreira de 58 mil pneus.

6. A Federação Internacional de Motociclismo suspendeu o Brasil de seus quadros em meados da década de 1950. Isso porque, depois de correr em Interlagos, os grandes astros internacionais da época esperavam seu pagamento para voltar à Europa. Não receberam. Cada um teve que ser socorrido por seu consulado.

7. O cérebro humano destreinado não consegue trabalhar a velocidades acima de 210 km/h. O piloto de moto que atingir essa velocidade pode não conseguir frear, fazer curvas ou acelerar, aumentando o risco de acidentes. Por isso, são necessários ao menos sete anos de treinamento para um atleta conseguir pilotar em alta velocidade em segurança. 

8. A Tourist Trophy (TT) da Ilha de Man, corrida de motocicletas realizada anualmente na ilha entre a Irlanda e o Reino Unido, é a competição de motociclismo mais mortal do mundo. Desde 1907, 135 pilotos sofreram acidentes fatais durante a prova. Dá uma média de mais de dois pilotos mortos por competição. Só em 2005, foram nove.

9. Um dia depois da TT da Ilha de Man, os produtores do evento abrem a pista para amadores. Só é preciso ter uma motocicleta para sentir da pele o que os pilotos profissionais viveram no dia anterior. O acontecimento é conhecido como " Mad Sunday" (domingo maluco).

10. Durante a etapa no Brasil do GP Motor Race 2012, em Santa Cruz do Sul (RS), o piloto brasileiro Marlinton dos Reis Teixeira, conhecido como Kalunga, fingiu ter desmaiado na pista para provocar a adesão da bandeira vermelha (interrupção da prova). Ele escorregou da motocicleta e, depois de algumas tentativas frustradas de voltar para a corrida, decidiu apelar para a cena forjada - se jogou no chão, pediu socorro e ficou imóvel até a chegada do resgate. O que ele não sabia era que tudo estava sendo filmado. Kalunga foi banido da categoria.

11 .A japonesa Yamaha surgiu em 1887 (na época como fabricante de órgãos e pianos).

12. A italiana Ducati iniciou suas atividades fabricando rádios!

13. A alemã BMW foi criada com o proposito de fabricar motores para aviões! Só mais tarde ela começou a fornecer motocicletas e, depois, automóveis.

14. Cagiva é uma abreviação de CAstiglioni GIovanni VArese – uma mistura do nome de seu fundador (Giovanni Castiglioni) com o nome da cidade italiana onde a marca de motos surgiu (Varese)!

15. A Bimota é uma das marcas mais recentes do mercado. Seu nome origina das iniciais dos sobrenomes de seus fundadores: Valerio BIanchi, Giusepe MOrri e Massimo TAmburini.

16. O maior número de ossos quebrados como motociclista - O americano Evel Knievel alcançou 433 fraturas de ossos até final de 1975, mas apenas em 1976, por conta de um outro acidente, resolveu se aposentar.

17. A moto mais cara do mundo - Foi arrematada por míseros 128.411,64 euros, por um colecionador inglês que preferiu o anonimato.A peça em questão era uma motocicleta Brough Superior SS-100 de 1936, que alem de seu natural status de raridade, ainda era de propriedade de seu criador, Sir George Brough.

Por curiosidade ainda, o apresentador americano Jay Leno tem uma, e esta foi objeto de uma moto temática em um dos capítulos do programa American Chopper.

Fonte: http://guiadoscuriosos.uol.com.br/
http://blog.masada.com.br/curiosidades-sobre-as-motocicletas/

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

A polêmica de todo início de ano está de volta: o IPVA é ilegal?

          La vem aquela novela de início de ano, esta se espalhando pela internet notícias que falam sobre a ilegalidade da cobrança do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e que a partir de 2018 ele deixaria de existir. Desculpa, mas é uma notícia fake, embora não fosse má ideia acabar com esse tributo.

          O site Avaaz esta com uma petição on-line em andamento e já reuniu quase 200.000 assinaturas pedindo o fim do imposto, sob a alegação de que ele é irregular. Os proponentes da petição alegam que no preço dos automóveis já estão embutidos em média 49% de tributos entre o IPI, ICMS, IPVA, PIS, Licenciamento e por aí vai.

          Outra alegação é o fato de que o automóvel é um bem de consumo, e não um patrimônio, o governo deveria cobrar o imposto uma única vez, em vez de fazê-lo anualmente. Outro argumento é que o imposto seria uma espécie de bitributação, já que ele pode ser destinado à manutenção da infraestrutura viária – e já existem outras cobranças com o mesmo fim, como pedágios e impostos sobre combustíveis.

          Bom, tirando o fato de que automóvel é um patrimônio, uma vez que:, é considerado patrimônio o conjunto de bens e direitos, as demais alegações até fazem sentido, mas jamais irão passar. Esta em nossa legislação que: Para a retirada de um imposto, é obrigatório comprovar que o Estado não terá perda.

         Além disso, em relação ao IPVA, somente os Estados e o Distrito Federal têm competência para instituí-lo de acordo com o art.º 155, III da Constituição Federal, então pessoas, bora lá trabalhar para poder ganhar um dim-dim e pagar esse tal de IPVA.


          Abriga que nós contribuintes temos que ter é outra, fazer todo esse dinheiro ser investido em melhorias de ruas e estradas, afinal os recursos advindos das contribuições de IPVA são divididos da seguinte forma: 50% vai para os município e o restante é dirigido aos estados ou Distrito Federal. Não existe, entretanto, uma destinação específica para a aplicação da verba. O que define então a destinação do dinheiro são as prioridades que o estado, Distrito Federal e as prefeituras estabelecem de forma particular. Dentre as possibilidades de utilização da verba estão reparos de estradas e viadutos, pagamento da alimentação de presos, construção de escolas e compra de remédios. O dinheiro não é completamente direcionado para a manutenção das vias públicas, como é de praxe considerar.



sábado, 18 de fevereiro de 2017

1º Encontro dos Batedores de Curitiba

Sgto Sato
          Nesse sábado (18.02.2017), aconteceu o 1º Encontro de Batedores de Curitiba, evento realizado nas dependências da 5ª Região Militar Quartel General (Pinheirinho), organização em parceria da 5ª CIA P.E., HOG Curitiba, Bodes do Asfalto e Moto Clube Viragopr (do qual faço parte). 


        O evento contou com estrutura de food trucks, exposição de viaturas antigas e  também barracas com artigos motociclísticos, nós da Expedições Latinas estivemos marcando nossa presença com nossos artigos. O show de whelling ficou por conta da equipe Arte e Dominio da Pro Tork, eles realizaram diversas manobras, demonstrando total domínio, confiança e habilidade sobre duas rodas.


          Quem esteve presente no evento pode fazer um teste drive numa Honda Africa Twin, uma moto com novo design projetada para obter a melhor aerodinâmica e contribuir para uma pilotagem versátil. Com suas rodas raiadas, a moto oferece agressividade para extremo off-road e ao mesmo tempo proporciona conforto para viagens longas e agilidade na cidade. Além desse teste, puderam contar também com orientações sobre pilotagem defensiva.



          O ponto alto do evento foi o encontro realizado entre os batedores da Polícia do Exército, da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar do Paraná e também com o pessoal da HOG Curitiba. Eles realizaram uma disputa amigável para ver quem executava um circuito em menor tempo e sem derrubar os cones pelo caminho. Foi uma apresentação magnifica de todos, muito bacana ver os batedores da P.E. , PRF e HOG executaram suas manobras com suas Harley Davidson encostando suas pedaleiras no chão naquelas curvas super fechadas, já a Polícia Rodoviária Estadual, além das  das HDs, executaram suas manobras com a Honda CB 1000R. 

           O evento teve inicio por volta das 10:30 h e transcorreu até às 17 horas, contando com a participação de motocicletas de todas as tribos.  Já no finalzinho, quando todos estavam se preparando para ir embora, nosso amigo Amilton Jose Silveira, presidente do Moto Clube Filhos do Calvário resolveu pegar sua Suzuki Intruder 800 e dar seu show à parte, zerando o percurso sem derrubar nenhum cone num tempo de 1,57 m - foi um excelente tempo - vou confessar um segredo, ele era instrutor de moto-escola, mas valeu pelo espetáculo.

          Nós da Expedições Latinas, gostaríamos de fazer um agradecimento especial ao Sargento Sato que conduziu com muito profissionalismo esse encontro, além da atenção e preocupação dispensada a nós, foi o primeiro e ficou um gostinho de quero mais. Valeu !!!!



























          

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Se beber, não pilote - Se pilotar, não beba - o que opinar?

          O texto abaixo não é meu, foi extraído de uma página publicada em janeiro/2013 a qual não cito a fonte, mas se alguém desejar visitar é só copiar o texto e jogar no Google. 

"De moralista eu não tenho nada, eu só aprecio histórias que “param em pé”. Se tem início, meio e fim, muito provavelmente eu vou entender. Mas quando olho para o picadeiro cotidiano e vejo personagens sob uma mesma lona do Estado encenando uma peça chamada “Se Beber não Dirija”, a conta não fecha… Fica faltando pecinhas no quebra-cabeças, o que torna uma obra non-sense, um teatro do absurdo. E a vida como ela é não perdoa peças insólitas, ela manda a conta depois do espetáculo."

e continua ......  "A gente usa uma parábola divertida para falar de algo sério. Nos Estados Unidos há verdadeiras cruzadas sobre pilotar e dirigir bêbados, nada moralista e sim realista, eles têm inclusive um fundo para suportar acidentados enquanto aguardam uma compensação do Estado. Há várias celebridades envolvidas que doaram ou dinheiro ou artigos para serem leiloados, como David Bowie, Bob Dylan, Ian Anderson (Jethro Tull), entre outros, e para não ficar fazendo discurso de sofá, eu deixo o link do BADD – Bikers Against Drunk Drivers, ou em latim modificado: Motociclistas Contra Motoristas Bêbados.

          Também não sou tão moralista, acredito que cada um tem o seu "livre-arbítrio" e deve fazer o quem bem entender, salvo quando envolve outras pessoas, no mais, se a pessoa acha bonito entortar o caneco e sair caindo pelos quatro cantos, quem sou para proibi-lo.

          Eu tive e tenho um grande professor no motociclismo chamado Silvio Laerte de Carvalho, com ele aprendi que devemos sempre ajudar um irmão motociclista na estrada, e foi justamente em sua companhia que deparei com um acidente na estrada recentemente. Havia um grupo de motociclistas parados na estrada e minha esposa fotografou-os, essa foto não irei postar para não divulgar o grupo. Percebemos que tratava-se de um acidente, três motociclistas estavam deitados e feridos, eles não observaram que o grupo estava freando para vencer uma lombada e então encavalaram sobre as motos da frente.(Alias, aquela lombada naquele ponto da estrada não tem propósito algum).

         Paramos ali e oferecemos ajuda, perguntamos se já haviam acionado socorro e nos disseram que o carro de apoio estava chegando, e chegou, então uma mulher desceu do carro e já começou uma D.R. criticando o marido por ter bebido o dia todo anterior indo madrugada adentro, por isso inclusive ela resolveu ir no carro e apoio. Bom, é lógico que eu e Silvio deixamos o grupo, não havia ninguém ferido gravemente.

          Um pouco mais a frente paramos num posto de gasolina e havia um sujeito sobre a moto exibindo a sua lata de cerveja, como se fosse um troféu, "eu sou o cara". O cara tava com um olhar de peixe morto, zonzo de tudo e se achando.

         É comum as pessoas beberem e entortarem o caneco em encontros motociclísticos, mas gente, nosso maior patrimônio é a nossa vida, vamos ter um pouco de juízo e não pegar a moto em estado de embriaguez, isso não é questão de moralismo, isso é questão de bom senso, pensem em suas esposas, filhos, pais que estão em casa preocupados, ou ainda, pensem nas pessoas que não tem nada a ver com sua bebedeira e de repente podem perder suas vidas porque tiveram a infelicidade de te encontrar no meio do caminho.

         Naquela mesma matéria havia uma menção : “Respeitáááááável público, no picadeiro o homem que involui!!!” , dando a isso uma certa ironia.

         Realmente o homem evolui, caso contrário ainda seríamos um Homem de Neandertal, uma espécie extinta do gênero Homo, cuja existência está ligada à evolução do homem moderno, graças a essa evolução conseguimos construir nossas máquinas que a utilizamos pelo prazer  de ir e vir.

          Peço desculpas para a pessoa que publicou aquela matéria e dizer-lhe que não sou moralista, eu apenas espero não encontrar o seu corpo estirado no chão por motivo de bebida. Se for para prestar ajuda a você na estrada, que seja para consertar um pneu, esticar a corrente, emprestar o celular para chamar uma Help Bikers  e espero não encontra-lo num simples acidente, apenas isso, para falar a verdade queria encontrá-lo e fazer uma saudação de irmãos motociclista desejando-lhe uma boa viagem, então,


"SE BEBER, NÃO PILOTE!!!!"





segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O motociclismo sobrevive !!

          Andando pelas estradas Brasil afora, bem como viagens ao exterior, levo comigo um pequeno gesto que demonstra respeito nas estradas. Não importa o estilo da moto, se o motociclista é "coletado" ou não, acenar e cumprimentar um irmão nas estradas é um ato de respeito e que gera uma emoção muito boa.

          Nos Estados Unidos isso é praticado pela grande maioria dos motociclistas que percorrem as estradas estadunidenses.

          Infelizmente no Brasil esta aumentando o número de donos de motos que se acham motociclistas, investem caros em motos e equipamentos e esquecem do principal, a IRMANDADE.  Parece um simples gesto, mas me entristece quando estendo minha mão para um irmão de estrada e esse não corresponde, esta certo que em muitas situações a segurança fala mais alto, mas numa reta isso é quase que obrigação, é uma demonstração de respeito.

          Motociclismo não esta relacionado com poder econômico, certa vez tive pane zero na estrada, confiei que o Trovão Azul (Vstrom 1000) chegaria até o próximo posto, mas de tão boa a gasolina, o Trovão resolveu beber mais rápido. Lá fui eu, empurrando o Trovão por alguns quilômetros, contei seis motos de alta cilindrada passando por mim sem prestar nenhuma ajuda. Fui surpreendido por três motos de 125 cc, as duas primeiras queriam fazer o reboque usando a técnica de empurrar com o pé, não dava né? O terceiro foi até o posto e voltou com o tanque dele cheio, então retirou gasolina suficiente para que eu chegasse ao posto.

         Voltando ao cumprimento, num passeio recente fiquei feliz em encontrar diversos motociclistas passando no sentido contrário, a grande maioria cumprimentou.

A história do cumprimento:

          Um Piloto chamado Barry Sheene (1950-2003), no inicio da década de 70, começo de sua carreira, sempre que vencia uma prova saudava a todos com o sinal de "v" (vitória) nos dedos. Esse gesto foi adaptado por todos os motards dessa época como uma saudação muito especial entre pessoas que partilhavam os mesmos valores e espírito na estrada. Tudo bem que essa emoção era um tanto quanto rara, afinal eram poucas motos circulando pelas estradas, por isso a festa quando dois motociclistas se encontravam em sentido oposto.

Além do "V", existem outros tipos de cumprimentos:
  • Acenar a cabeça;
  • Dar sinais de luzes, pode ser alternando entre médios e máximos, como pode ser, desligando as luzes e voltando a ligar (embora possa ser usado para indicar perigo à frente);
  • Ao passar para a frente do motociclista esticar a perna direita (embora seja usado também para indicar um perigo na estrada), uma vez que utilizando a mão iria ser necessário tirar a mão do acelerador;
  • Levantar a mão numa posição aberta ou fechada.
         É isso aí irmãos motociclistas, bora lá pegar estrada e exagerar nos cumprimentos.










Estrada Bonita - Joinville - SC

          Há algum tempo estávamos querendo fazer um passeio até a Estrada Bonita na cidade de Joinville-SC, uma opção de lazer muito próxima a Curitiba, mas por incrível que pareça ainda não conhecíamos. Ela esta localizada no Distrito de Pirabeiraba, é um recanto para se encontrar com a natureza, o turismo rural virou ponto de referência pela beleza da região e também pela culinária típica. Estrada Bonita passou a receber turistas de todas as partes do Brasil. Ali também existem lagoas para pesque-pague. A água é tão cristalina que é possível ver os peixes onde quer que estejam. Quem quiser, pode aproveitar o tempo para descansar na sombra, e os aventureiros curtem as trilhas oferecidas no local.



          São apenas cinco quilômetros entrando no km 5 da BR-101, passando pelo Portal “Estrada Bonita — Turismo Rural” você já percebe uma completa mudança mergulhando num mundo cheio de paz e tranquilidade, esqueça aquela correria das grandes cidades, você passa a ter contato com pessoas simples e hospitaleira, onde o lema é bem servir, afinal, nesses cinco quilômetros o turista irá encontrar casas em estilo colonial que oferecem pousadas, chalés e uma excelente comida típica.
         
          Chegando no início da estrada muitos turistas começam uma caminhada nos 5 km,  fazendo de forma contemplativa e cada um no seu ritmo, podendo assim apreciar toda a beleza do caminho. Ao longo do trajeto, passam em frente a pequenas propriedades de descendentes de colonos europeus, principalmente alemães. Na região podem ser adquiridos produtos coloniais como pães, cucas, salames, mel, etc.

          Quem quiser pode apreciar um almoço de costela fogo de chão e galinha caipira, além de muitas outras delícias da culinária rural. Ao chegar quase no fim da estrada, tem um restaurante que sempre lota nos fins de semana, o da Tia Marta. Além de bufê, tem pratos individuais, lanches, porções, pingas e sobremesas. 

          Ao lado do restaurante, há o rio Bonito — limpo e cristalino (bem frio também). Famílias inteiras almoçam e, depois, vão molhar os pés às margens do Rio Pirabeiraba, que margeia toda a Estrada Bonita, ou então conversar, sentar nas pedras e curtir a paisagem bucólica. Um refúgio para quem quer fugir “da cidade grande”.

         Na região existe o Museu Rural Ango Kersten, onde há peças, maquinários e ferramentas do século 19 e início do 20, além de artesanato feito pelos índios da região.

          A estrada foi fundada em 1885 por imigrantes pioneiros que trabalharam na construção da estrada de ferro de Paranaguá no Paraná, mas foi em 1984 que Estrada Bonita virou ponto turístico. Ganhou asfalto e pórtico. A agremiação "Fundação 25 de Julho" de Joinville incentivou os moradores a trabalharem e gerarem renda familiar. No início, 18 famílias participaram de cursos, mas apenas oito continuam o projeto. As famílias que participam do programa de turismo rural receberam uma placa (no formato de uma casa), que fica em frente à propriedade, dizendo que produtos a família vende ou quais serviços oferece, como por exemplo: Família Retzlaff — pães, cucas e biscoitos. 


LOCALIZE-SE 

COMO CHEGAR: 
— A Estrada Bonita fica no km 5, na BR-101, no distrito de Pirabeiraba, em Joinville.


O QUE FAZER: 
— Caminho Natural Alimentação e Lazer — (47) 3427-3699. 
— Grun Waldt Restaurante e Pousada — (47) 3464-1004. 
— Restaurante e Pousada Tia Marta — (47) 3437-7130. 
— Pousada Vale Verde — (47) 3464-1377. 
— Propriedade Ango Ivanir e Hilda Kersten (museu e passeio de trator) — (47) 3464-1432. 
— Propriedade Retzlaff (pães, cucas e biscoitos) — (47) 3437-1503. 
— Propriedade Debatin (pesque –pague) — (47) 3464-2454. 
— Propriedade Reinaldo e Anita Hattenhauer (pesque-pague, lazer e queijos) — (47) 3464-1500. 
— Propriedade Rudolfo Gehrmann (restaurante colonial) — (47) 3437-8141. 
— Propriedade de Olinda Kersten (pães, melados, geleias) — (47) 3464-2229.