quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Festa Pomerana


          Pensa numa festa divertida onde você não entende uma palavra do que dizem, a não ser que você seja descendente de alemão, esta é a Festa Pomerana , são onze dias de festa, ela chega a sua 34ª edição, a festa germânica que é tradição todos os meses de janeiro no estado de Santa Catarina.

A cidade mais alemã do Brasil se prepara para receber moradores e visitantes em uma festividade que ressalta a cultura dos colonizadores através da gastronomia, competições, música e dança. A festa faz parte da comemoração de aniversário da cidade de Pomerode. 

          A próxima edição será realizada entre 12 e 22 de janeiro de 2017, no Pavilhão de Eventos de Pomerode, terá como mote "Tradição celebrada em família"

          Culinária - A festa também é um banquete da culinária típica alemã, apresenta farta gastronomia aos visitantes nos diversos espaços gastronômicos, resgata ainda a cada edição a culinária mantida no dia a dia da comunidade.

​Abertura Oficial: dia 12 às 20h.

Horários da festa

Segunda a quinta – 18h às 01h

Sextas das 18h às 3h

Sábados das 10h às 4h

Domingos das 10h às 24h



          O grande barato de ir a Pomerode é poder desfrutar das paisagens do Vale Europeu, para quem segue pela BR 101 o caminho a ser seguido é a Rodovia do Arroz, onde pode ser observado as plantações de arroz (é lógico) com a Serra do Mar ao fundo da paisagem, é muito bacana. O retorno a Curitiba pode ser feito por São Bento do Sul, pela SC 280 passando também pela Serra do Mar e chegando à BR 116, uma estrada com muitas curvas e com belas paisagens, nesse tem a opção de passar pela Serra da Dona Francisca, retornando depois pela BR 101, mas daí é muito passeio para apenas um dia.





          Este é um  dos eventos mais bem organizados da região sul do Brasil, na culinária encontramos o marreco com repolho roxo, Bockwurst (salsichão) e Eisbein (joelho de porco) pratos típicos servidos na festa. O tradicional Chopp, tirado na medida certa e bem geladinho completa as delícias da Festa Pomerana.




          Além dessa comilança toda, estão previstas algumas competições típicas tais como:



Fischerstechen (fisgar o pescador) - trazida da Alemanha. É uma luta realizada no meio de um rio ou lagoa, em que duas equipes se enfrentam, uma em cada canoa. Cada equipe é munida de um bastão. O objetivo é derrubar o adversário.



Schneidmüller (serrador de lenha) e Holzhacker (lenhador) – a partir da prática dos imigrantes de preparar as madeiras para as construções, se originaram estas competições. São utilizados um tronco, uma serra manual de dupla e um machado. É vencedora a dupla que serrar ou aquele que lenhar seu tronco no menor tempo.






Vogelstechen (pássaro ao alvo) - competição tradicional na qual o participante utilizará um pássaro esculpido em madeira com bico de prego preso a uma corda para acertar o alvo.






















quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Novas Placas padrão Mercosul para 2017

          A partir de 2017, veículos do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela passarão a circular com novo modelo de placa.

         O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) apresentou 
placas de veículos que serão usadas no Brasil e demais países do Mercosul, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela. No Brasil, a placa será obrigatória para veículos novos a partir de janeiro de 2017. Para os veículos que atualmente já estão emplacados, a mudança será opcional.

Saiba o que muda nas novas placas a partir de 2017:

1- Mais letras e menos números
Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa;

2- Cada um com a sua cor
A cor do fundo das placas será sempre branca. O que varia, é a cor da fonte. Para veículos de passeio, cor preta, para veículos comerciais, vermelha, carros oficiais, azul, em teste, verde, diplomáticos, dourado e de colecionadores, prateado;

3- Estado e cidade com nome e brasão
O nome do país estará na parte superior da patente, sobre uma barra azul. Nome da cidade e do estado estarão na lateral direita, acompanhados dos respectivos brasões;

4- Tamanho
A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura).

5- Contra falsificações
Marcas d'água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações;

6 - Quem terá que trocar
O modelo será adotado a partir de 2017 para novos emplacamentos. Para quem tem carro já emplacado, a troca é opcional. Segundo o órgão, o preço será mantido.

         O objetivo da mudança é ampliar o número de combinações. Segundo o Denatran, serão possíveis mais de 450 milhões de combinações diferentes, contra as pouco mais de 175 milhões de possibilidades do atual modelo brasileiro.

        No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e o número serial da placa. A tira é uma maneira de evitar falsificação da placa.

          O Denatran, no entanto, não soube informar como ficarão questões de rodízio ou licenciamento dos veículos nos estados em que o último número da placa é utilizado como referência. Isso porque, como poderão ter letras e números misturados, as placas poderão terminar com uma letra.


ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DAS PLACAS 
1.1 Dimensões: 
I - Veículos: 400mm (± 2mm)x 130mm (± 2mm) (Figura I) 
II - Motocicletas, motonetas, triciclos, ciclomotores, quadriciclos e ciclo elétricos: 200mm(± 2mm)x 170mm(± 2mm) (Figura II) 
III - Espessura: 1,00 mm (± 0,2mm) 

1.1.1 O Departamento Nacional de Trânsito, através de portaria específica publicada no Diário Oficial da União, poderá autorizar a redução no comprimento da Placa de Identificação Veicular, para veículos em que a placa não couber no receptáculo a ela destinada

DICA: Por se tratar de uma placa adotada no Mercosul, a sugestão para aqueles que viajam para a América Latina é que se proceda a alteração, mesmo que opcional, uma vez que isso facilitará o trâmite nas aduanas.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Fugindo de pedágios - atrás de possibilidades


          Dia desses realizei uma viagem até a cidade de Cascavel-Pr, interior do Paraná, de Curitiba até lá são 7 pedágios e cada um fica na faixa de R$ 5,00 para motocicletas (o Paraná tem um dos pedágios mais caros do Brasil). Além de Cascavel, também passei por Alto Piquiri, cidade próxima de Umuarama, foram aproximadamente 1.200 km naquele fim de semana. 


          Depois de analisar o mapa de nosso estado, resolvi retornar pelas estradas estaduais, as quais ainda não existem concessões de pedágio, nesse caso temos pontos positivos e negativos, mas a experiência valeu, passei pela região de Cândido de Abreu, a qual é conhecida como Paraíso das Serras.. 

Pontos positivos: 

  • Conheci novas cidades;
  • Lindas paisagens, nesse trecho passei pela Serra do Piquiri

Pontos negativos:

  • Estradas não tão conservadas
  • Tempo maior de viagem, devido a situação das estradas


          No que se refere à economia, não foi aquilo que eu esperava, afinal, devido às constantes alterações de marchas pelas condições de alguns trechos, o consumo de gasolina se tornou maior, fazendo com que o custo da viagem ficasse o mesmo da estrada pedagiada.

Conclusão: 

         Em caso de viagens onde existe um compromisso, o negócio é viajar pelas estradas pedagiadas, que oferecem uma viagem mais segura, com asfalto mais conservado, além de oferecerem os serviços de guincho e apoio ao viajante. Agora, se estiver a passeio, aproveite as novas possibilidades, afinal, para motociclistas, quanto maior a distância e o desafio, melhor é.
     
          Além das fotos dessa viagem, mais abaixo estão fotos tiradas no fim de 2.014.




Placa após Cascavel - rumo a Fóz do Iguaçu







Restaurante à beira de estrada em Iretama-PR






2014







Portal de Candido de Abreu
Considerada o Paraiso das Serras