quinta-feira, 29 de outubro de 2015

2º ROSA SOBRE DUAS RODAS

FOTO: Sara J. Michel
          Nessa quarta-feira (28/10/2015), realizou-se em Curitiba uma motocada organizada em conjunto pela ONG Humsol e pelo Club 1903 Motorcycles, o passeio foi o encerramento oficial da Campanha Outubro Rosa 2015 e contou com a presença de dezenas de motociclistas.

          A concentração aconteceu na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente a Assembléia Legislativa e percorreu algumas ruas de Curitiba, passando pelo Museu Oscar Niemayer com encerramento no Club 1903 Motorcycles, situada na Rua Dias da Rocha Filho, 79, Alto da XV.

          O Instituto Humanista de Desenvolvimento Social (Humsol) é uma instituição não-governamental, sem fins lucrativos, que desde 2009, reúne voluntários interessados em atuar em prol de atividades que vão ao encontro dos Objetivos do Milênio. Sendo assim, desenvolve projetos que promovem mudanças pela informação, inclusão cidadã e oficinas nas áreas de assistência social, cultural, educacional, ambiental e de saúde.

          O Outubro Rosa é um movimento internacional de mobilização contra o câncer de mama que surgiu nos Estados Unidos por volta de 1997, com a iluminação de monumentos na cor rosa. Desde 2008 o Brasil adotou a iniciativa que é coordenada no âmbito nacional pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama). Já no Paraná é organizado pelo Instituto Humanista de Desenvolvimento Social (Humsol), ao qual uma das idealizadoras da ONG, Tania Mary Gomes, é vice-presidente da Femama.

          O Instituto Humsol desenvolve diversas ações alertando sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce como caminhadas, palestras, blitz, exposições, desfiles, oficinas, apresentações teatrais e danças.

FOTO: Sara J. Michel

FOTO: Sara J. Michel

FOTO: Sara J. Michel

FOTO: Sara J. Michel

FOTO: Rosimery Dantas

FOTO: Rosimery Dantas 






segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Guard-rail - proteção ou armadilha

         O tópico que eu quero lidar hoje é realmente triste, ele nos lembra, em termos inequívocos que a vida dos motociclistas é considerado dispensável por aqueles que gerenciam a viabilidade de nossas estradas. Muitos motociclistas perdem a vida em todo o mundo, ou acabam brutalmente mutilado por conta dos guard-rails instalados na beira de nossas estrada, eles são projetados para "proteger" automóveis e caminhões em caso de colisão, mas não protegem motociclistas e ciclistas.

          Guard-rail por definição seria um guarda corpo, uma mureta ou defensa metálica com finalidade de proteção colocada às margens de pistas de automobilismo e em muitas estradas pública,
mas sera que teria mesmo esta funcionalidade.

          Os "Guard-rails obsoletos instalados em nossas estradas devem ser substituídos, esta mais que provado que eles não funcionam, em muitos casos eles ajudam a agravar os acidentes, causando ferimentos graves, amputações e morte em muitos casos.

          Associações de motociclistas, sindicatos, moto grupos, entre outros estradeiros deveriam se reunir para discutir e exigir leis de segurança rodoviária que venham realmente proteger a vida de motociclistas e motoristas. Alguns defendem que seja instalado mais uma faixa de guard-rail na parte inferior, alegando que o problema esta na altura que estão instalados, em caso de acidente os motociclistas deslizam e ficam presos naquele espaço. Na verdade ele deve ser todo substituído, é uma peça metálica, em impacto com veículos elas podem se desprender e se tornar uma arma,

          No mês de novembro de 2014 foi realizada na Espanha uma manifestação contra as grades de proteção, com uma marcha motociclista e a leitura de um manifesto foi lida com um minuto de silêncio para os motociclistas acidentados. Nesse ano esta previsto uma nova manifestação para este mês de novembro, é uma luta que já dura quase 20 anos.


          Alguns acidentes envolvendo guard-rails, deixo de colocar fotografia dos corpos, a intenção é a de alertar e não chocar.

          Um jovem de 25 anos teve apenas ferimentos leves após perder o controle da direção e bater o carro que dirigia contra o guard-rail da rodovia BR-476, em Antônio Olinto, na região sul do Paraná, na manhã desta sexta-feira (12). A barra de proteção atravessou o veículo da vítima, que estava sozinha no momento da batida.
Fonte: G-1



         Duas mulheres morreram em um acidente na SC-401, em Florianópolis, na manhã deste sábado (15). Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o veículo saiu da pista e bateu em um guard-rail, que atravessou o veículo com o impacto. O acidente ocorreu em uma curva, abaixo do elevado do Bairro Itacorubi, por volta das 7h30.
Fonte: G1







domingo, 25 de outubro de 2015

De São Luis do Purunã até Balsa Nova

          Um fim de semana diferente, a principio eu e minha Sibely não tínhamos a intenção de ir para a estrada, afinal, nossos filhos estavam fazendo as provas do ENEM.

          Para não ficar a seco, resolvemos pegar a estrada sentido a Colonia Witmarsun, porém, chegando no pedágio de São Luis do Purunã avistamos uma estrada de terra e resolvemos ver onde ia parar.

          Andamos uns 8 kms e paramos na  entrada de uma fazenda, ali fomos informados que aquela estrada levava até centro de Balsa Nova e também na Ponte dos Arcos, estrada de ferro que passa pela região. Também passamos pelo aeroclube e pelo parque Manancial.

          Algumas fotos referem-se a um passeio pela região do Recanto dos Papagaios, também pertencente a Balsa Nova.




A História de Balsa Nova
Fonte: Prefeitura Municipal de Balsa Nova

Os primeiros sinais de povação apareceram logo após o descobrimento do Brasil. Com a
passagem, por essas terras, de portugueses e castelhanos, com o objetivo de prear índios
e descobrir tesouros.

Esses pequenos núcleos foram se desenvolvendo com a mineração e tropeirismo, depois com
a agricultura, erva-mate e madeira. Por volta de 1680 iniciou-se a colonização de terras
através da distribuição de Sesmarias, cujos proprietários, em maioria, moravam em São
Paulo e Paranaguá. Antonio Luiz Lamim, alcunhado de Capitão Tigre, recebeu áreas na região do Iguaçu, Campo Largo, Rio Verde e Campos Gerais.

Na Serra, ao contrário de outros fazendeiros, o "Tigre" fixou-se no lugar chamado de Tamanduá. Assim foi fundada a primeira povoação de Balsa Nova, no ano de 1702. O povoado cresceu, e, em 1709 com a construção da Capela Nossa Senhora  do Carmo, que mais tarde passaria a ser Capela de Nossa Senhora da Conceição do Tamunduá, passou a ter representatividade econômica. Sob as "asas" de Tamanduá foram surgindo e crescendo outros núcleos Serra abaixo, no Vale do Iguaçu. Enquanto esses novos vales prosperavam, a "Velha Tamanduá" entrava em decadência, a partir de 1823. Rodeio Grande, Bugre, Lagoão, São Luiz, Santo Antonio e São Caetano formavam agora a base econômica da região balsanovense. Rodeio era o mais progressista, mas havia que se melhorar a travessia do Iguaçu.

Com a participação das famílias Alvarenga, Anjos e Chaves, construiu-se uma balsa puxada
por quatro canoas. A embarcação pouco durou sendo arrastada pelas águas. Em 1891 surgia
uma nova balsa, tracionada por correntes e muito mais segura. A partir daí esqueceu-se
do "Rodeio" e todos os moradores da região passaram a referir-se ao lugar como Balsa Nova.
Em 1938 a denominação oficial do lugar passou a ser João Eugênio.

Em 12 de maio de 1954, por pressão popular, o nome volta a ser, em definitivo, Balsa Nova.
Em 25 de janeiro de 1961, o então Distrito é desmembrado de Campo Largo e torna-se o
Município de Balsa Nova. A partir daí, superada a faze de transição administrativa, a
cidade vive sua independência, união e prosperidade.
























Ponte dos Arcos
Tamanduá

Na divisa municipal de Balsa Nova e Porto Amazonas,
na junção entre o Rio dos Papagaios e o Rio Iguaçu,
exatamente ao final da Estrada do Tamanduá, fica
localizada a Ponte dos Arcos, com seus mais de 60m
de altura e 585m de comprimento.















Moinho Balsa Nova
Balsa Nova / Rio Itaqui

No início do século XX, mais ou menos na mesma
época da construção da "nova balsa" para travessia
do Rio Iguaçu (que originou o nome da cidade),
o centenário Moinho Balsa Nova iniciou seu
funcionamento. Instalado à margem do Rio Itaqui,
o Moinho usava a força da correnteza do pequeno rio.
Hoje, já movido a energia elétrica, o lugar ainda
conserva boa parte de sua construção original, já
bastante deteriorada pelo tempo, mas com sua
arquitetura rústica e longas paredes de madeira
ainda em riste, e em pleno funcionamento.









PARÓQUIA SR. BOM JESUS - BALSA NOVA


Histórico


          Em 1914 foi construída uma igreja de madeira. No ano de 1956, iniciou a construção de uma nova igreja de pedra, que em 1968 tornou-se a Igreja Matriz da Paróquia do Município de Balsa Nova (o antigo nome de João Eugênio), em 1961 tornou-se Município, a base deste Município é a agricultura e uma grande parte da população de origem Polonesa.

          Tendo em vista o crescimento da população de Balsa Nova foi criada então a Paróquia do Senhor Bom Jesus de Balsa Nova, por decreto do Arcebispo Dom Manuel da Silveira Elboux da Arquidiocese de Curitiba em 1º de fevereiro 1968. Congregação Sociedade de Cristo, (Padres emigrantes Poloneses) que assumiu a Paróquia, o Superior Provincial dessa Congregação nomeou como primeiro Pároco da recém-criada Paróquia o Padre Josef Pytel SChr. Que assumiu o cargo de Pároco, em 04 de fevereiro de 1968, na presença do Arcebispo Dom Manuel da Silveira Elboux e do Padre Stanislaw Nowak Superior Provincial da Congregação Sociedade de Cristo, o Padre Jan Novinski foi nomeado cooperador Paroquial em fevereiro do mesmo ano.

          Aos 28 de abril de 1969, deu-se inicio da construção de Casa Paroquial, sendo os pedreiros o Sr. Amaro José Ferreira e o Sr. Ernesto Bathke. Em 26 de agosto de 1970 foi comprado o 1º carro Paroquial.

          Em 04 de junho de 1973 começou a construção do Salão Paroquial

          Aos 02 de fevereiro de 1978 chegou à paróquia três irmãs da Sagrada Família, trazida pelo Pároco Pe Boleslau Liana SChr. para assumir o trabalho de evangelização e ensino, a Paróquia comprou uma casa para acomodar as irmãs.

          Aos 31 de outubro de 1979 Superiora Geral Tekla Budnowska de Varsóvia visitou as irmãs que trabalham em Balsa Nova. Realizada em 16 de Novembro a

          Aos 03 de dezembro de 1980 a peregrinação na paróquia de Nossa Senhora de Czestochowa. A pintura foi doada pelo Santo Padre. João Paulo II

          Aos 08 de fevereiro de 1998 a Comunidade Paroquial comemorou com uma grande festa o 30 º aniversário da Paróquia. Teve inicio com a Santa Missa presidida pelo Arcebispo de Curitiba – Pedro Antonio Fedalto, e concelebrada pelo Provincial Padre Zdzislaw Malczewski SChr, Pe. Kazimierz Przegendza SChr - Tesoureiro, o Padre Zygmunt Szwajkiewicz SChr – residente da Província, ex-párocos, Pe. Jan Nowinski SChr. de Campo Largo e Pe. Boleslau Liana SChr. de Córdoba, na Argentina e do atual Pároco Pe Benedykt Grzymkowski SChr. Após a Santa Missa teve apresentação do Grupo folclore polonês local, apresentado ao Arcebispo e os convidados algumas danças polonesas tradicionais, e o almoço comemorativo.

          Esse pequeno histórico nos mostra um pouco de como foi à formação desta Paróquia, com o esforço deste povo de Balsa Nova e dos Párocos que passaram por esta Comunidade Paroquial, alguns que já foram chamados pelo Pai, que tenham o descanso eterno.










Parque Manancial
Balsa Nova / Sede

Inaugurado em 7 de junho de 2003, o parque tem
162.185m2, oferencendo em sua ampla área de lazer,
playgrounds, trilhas pavimentadas para caminhadas
e canchas, além de um belo mirante para o lago.
Localizado dentro da área urbana do município de
Balsa Nova, o Parque Manancial engloba a
Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente da
cidade e o centro de Convivência do Idoso.




















Antiga Estação Ferroviária de Balsa Nova
Pesquisa histórica sobre a antiga, e já demolida, Estação Ferroviária de Balsa Nova,
elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht, sócio do Inst. Histórico e Geográgico de
São Paulo e da Assoc. Bras. de Preservação Ferroviária.

























Ponte Centenária
São Luiz do Purunã / Rio dos Papagaios

A antiga ponte sobre o Rio dos Papagaios, às
margens da BR 277, foi construída no ano de 1876,
por imigrantes alemães, quando da visita de Dom
Pedro II ao Paraná. É uma obra tombada pelo
Patrimônio Histórico e Cultural, sendo considerada,
um monumento da engenharia nacional. A Ponte fica
dentro do Recanto Monteiro Tourinho (Recanto dos
Papagaios), hoje, um local de lazer com áreas de
churrasquerias, playgrounds e piscinas naturais.









Recanto dos Papagaios (Monteiro Tourinho)
São Luiz do Purunã / Rio dos Papagaios

Construído e inaugurado em 1969, o Recanto Monteiro
Tourinho (ou Recanto dos Papagaios) está instalado
em uma área de aproximadamente 15.000 m2, às
margens da Rodovia BR 277, na divisa entre
Palmeira e Balsa Nova. Aos finais de semana, o
local é bastante disputado por famílias de toda
a região, que se utilizam da excelente infra
estrutura, para desfrutar da beleza da Ponte
Centenária e da natureza à sua volta, além de fazer
um churrasco ao lado de familiares e amigos.